Economia

Justiça pega Buser: busão parou por falta de diesel

A Buser Brasil Tecnologia Ltda, aplicativo de ônibus, de forma solidária, foi condenada pela Justiça do estado de São Paulo a indenizar passageira de ônibus que interrompeu viagem por falta de óleo diesel. A razão para a interrupção foi a falta de dinheiro com o motorista para comprar o combustível. No entanto, a empresa de fretamento HG Service Tur Transportadora Turística, contratada da Buser, tentou minimizar, alegando problema no meio de pagamento PIX do condutor do coletivo.

Buser e HG Service, portanto, conforme a decisão da Justiça, terão de indeniza em R$ 3 mil a passageira que interpôs ação por danos morais. O juiz Thiago Massao Cortizo Taraoka, da Vara do Juizado Especial Civil e Criminas de Mogi das Cruzes (SP), ao lavrar a sentença, apresenta a Buser como responsável solidária.

Está gostando de ler? Compartilhe!..

Juiz refutou argumentos da Buser

De acordo com os autos (Processo 1011800-262022.8.26.0361), no entanto, a Buser tentou ficar fora da ação. “A responsabilidade do intermediador é questão de mérito, não de condição de ação. Além disso, o réu é intermediador de produto. É solidário, então, nos termos do artigo 7º e 18 do Código de Defesa do Consumidor. Nota-se, inclusive, que a Buser aparece como vendedora dos serviços”, relatou o juiz.

Thiago Taraoka interpretou assim parte da queixa da passageira: “Alega que o motorista interrompeu a viagem em razão da omissão de HG Service Tur Transportadora Turística Eireli na transferência de valores para abastecimento do ônibus”.

O incidente ocorreu em 12 de junho. A autora da ação embarcou em Viçosa (MG). Deveria desembarcar em São Paulo (SP), no dia seguinte. Entretanto, teve de pernoitar em Juiz de Fora (MG) e adquirir bilhete em outra empresa. A sentença é do dia 22/07 e publicada nesta quarta (27/07).

A Justiça fixou prazo de 15 dias para a Buser e HG cumprirem a sentença. Mas, cabe recurso.

Problema recorrente nos aplicativos

Casos como esse, entretanto, são frequentes nas ocorrências contra empresas de ônibus por aplicativo. Entretanto, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT – Ministério da Infraestrutura) parece fazer vistas grossas. Isso sem contar antigas queixas de perdas de receita pelas empresas convencionais.

MATÉRIA RELACIONADA:

Recuperação da Itapemirim atolou: pedida falência

Leia AQUI a Nota à imprensa da Buser, enviada nesta quinta (28/07).

Nairo Alméri

Posts Relacionados

Ensaio da Ufla define sabor e aroma do café

A partir do isolamento de microrganismos presentes nos solos das lavouras de café, pesquisadores interferiram…

3 dias atrás

Lula precisa botar pressão na fiscalização da grana

As promessas de recursos, quase sem limites, para socorrer ao Rio Grande do Su criam…

3 dias atrás

Zema quer economizar R$ 70 milhões nas costas dos militares

Feitas as contas, R$ 70 milhões por mês é o tamanho do corte que Zema…

3 dias atrás

Eterno olho gordo do PT bota pressão na Petrobras

A maior empresa do país continua, neste 2024, pagando caro pelas cobiças, ingerências e desmandos…

4 dias atrás

Novo cotidiano: botar pressão contra STF

Nessa onda, botar pressão contra o STF, apareceu até o pastor Silas Malafaia entrou em…

5 dias atrás

Grêmio ataca pouco caso da CBF para o tamanho da tragédia

O Grêmio, de Porto Alegre (RS), criticou a inarredável postura de insensibilidade da Confederação Brasileira…

6 dias atrás

Thank you for trying AMP!

We have no ad to show to you!