Política

Assembleia expõe e prova que Zema pede muito e nada libera para enchentes

A Assembleia Legislativa anunciou, nesta quinta (13), que vai liberar, devolver ao governo do Estado R$ 106,5 milhões sob a recomendação de que seja gasto com as vítimas das chuvas. No dia 4 último, Zema anunciou, não, antecipou R$ 6,3 milhões que são dos municípios para que eles, os 55 mais atingidos, enfrentem o momento difícil.

Entre um e outro, Zema pediu ao governo federal, na quarta (12), R$ 935 milhões para obras e atendimentos emergenciais por conta das chuvas no estado. No mesmo dia, reconheceu que subiu para 341 o número de municípios em situação de emergência. Dali não saiu mais nenhum dinheiro. Essa tem sido a medida adotada por Zema, quando se trata de cuidar das pessoas e de investir no social, como reafirmou durante toda a pandemia.

“Os 77 deputados economizaram e a Assembleia devolveu R$ 106,5 milhões. Este valor deverá obrigatoriamente ser usado para minimizar o sofrimento dos mineiros com a forte chuva que atinge Minas. A bola está com o Zema para a distribuição deste recurso”, escreveu Agostinho Patrus, presidente da Assembleia em sua conta no Twitter.

Burocracia e falta de planejamento

Sem planejamento ou prioridade, o governo Zema até agora nada fez com a bola e não disse onde e como irá aplicar o dinheiro que é tão esperado pelos municípios.

O presidente da Associação Mineira dos Municípios (AMM), Julvan Lacerda, reclama com razão quando diz que a burocracia e a má vontade travam a assistência ao cidadão na hora difícil. “Além de todos os problemas a serem enfrentados, os municípios precisam vencer a intensa burocracia do governo federal, que, teoricamente, disponibiliza recursos para socorrer”, disse ele. Em entrevista, confirmou que ficam só na teoria, porque a burocracia para ter acesso a esses recursos é tão grande que, muitas vezes, não chega a tempo para socorrer a situação”, criticou.

As chuvas em Minas Gerais vêm deixando municípios inteiros isolados. Em algumas regiões, a lama tomou casas, ruas, pontes e deixou vítimas. O número de mortos em consequência do período chuvoso chegou a 25 nesta quinta-feira (13), segundo o boletim da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil. Desde o início das chuvas, mais de 4 mil pessoas estão desabrigadas e 26 mil ficaram desalojadas no estado.

Prefeitos irritados

Numa reunião relâmpago com os municípios da Grande BH, na quarta (12), Zema deixou mensagem de que poderia liberar R$ 40 milhões para todos eles. Claro, eles ficaram indignados com o apreço que Zema tem pelo caixa estadual e o desapreço para com o drama humano.

Rival declarado de Zema e concorrente dele na disputa pelo governo de Minas, o prefeito de BH, Alexandre Kalil (PSD), cobrou dele o repasse de R$ 70 milhões para obra contra chuva.

“Na reunião que os prefeitos da Grande Belo Horizonte tiveram, em que o governador ficou presente por cinco minutos, foi oferecida a bagatela, para todas as cidades da Região Metropolitana, de R$ 40 milhões. É falta de noção absoluta da necessidade e de dinheiro”, afirmou, em entrevista à Band News.

Para Décio Junior, secretário de Brumadinho, o bate-papo foi meramente “burocrático”. “O governador fez uma fala e saiu durante a reunião, para atender à imprensa. Ficamos, prefeitos e representantes dos municípios, reunidos com a equipe [do governo]”.

Orion Teixeira

Posts Relacionados

Prefeitura rescinde com Itapemirim; 500 ônibus da China

A Prefeitura de São José dos Campos (SP) rompeu contrato de licitação vencida pela Viação…

5 horas atrás

Batata segurou a inflação na panela; cebola pressionou

Companhia Nacional de Abastecimento (Conab/Ministério da Agricultura) constatou que mercados atacadistas que analisa apresentaram quedas…

1 dia atrás

Vale fazia obra com licença ambiental vencida em 2011

A Vale S/A executava obras de engenharia no pier e ponte do Terminal da Ilha…

1 dia atrás

Governo de Minas perto do fim do ciclo de banqueiro; MGI

A MGI – Minas Gerais Participações S.A acompanhou com destaque a trajetória do Governo de…

2 dias atrás

Veto a RRF do Rio dá a Zema saída para recuar e evitar outra derrota

Em vez de problema, o veto ao plano de retorno do Rio de Janeiro ao…

3 dias atrás

Destruição da floresta chegou a 10.362 km² em 2021

A floresta amazônica viveu em 2021 o seu pior ano em uma década. De janeiro…

3 dias atrás

Thank you for trying AMP!

We have no ad to show to you!