Barragens da Vale, Samarco, CSN, Usiminas,…

  • por | publicado: 27/03/2023 - 10:25 | atualizado: 29/03/2023 - 14:50

Tragédia com 270 mortos, em 2019, na Mina Córrego do Feijão, da Vale, em Córrego do Feijão, Brumadinho (MG) - Foto: Corpo de Bombeiros MG - 25/01/2019

A Superintendência de Segurança de Barragens de Mineração, da Agência Nacional de Mineração (ANM), determinou à Vale S.A. o “cumprimento de exigência técnica de barragens” para o conjunto de estruturas da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho. Incluiu, entretanto, em mesma ordem, outras barragens em Minas Gerais. A ANM, no Despacho 15/2023, publicado sábado (25/03), instrui que a mineradora deve seguir “prazos determinados em ofício”.

ANM listou da Vale, no complexo Mina Córrego do Feijão, onde ocorreu a tragédia de 25 de janeiro de 2019 (270 mortes), as barragens Menezes II, Capim Branco e B VI. Em Itabira, aparecem, entre outras, as barragens Itabiruçú e Rio do Peixe. Ao todo a companhia teve 12 barragens listadas pela Superintendência da ANM.

Ainda no Despacho 15/2023 figuram instalações das mineradoras Minerita e Turmalina. Na extração de ouro, estruturas da AngloGold Ashanti e Serra do Oeste.

Em outro documento, Despacho 16/2023, a Superintendência da ANM incluiu a Samarco, pertencente ao Grupo Vale e também na extração de minério de ferro. A Samarco é 50% da Vale e 50% da anglo-australiana BHP Billiton.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Vale S.A. faz 80 anos de muito sucesso (e tragédias) – maio 2022

Vallourec e Vale, o medo brota no alto da Serra da Moeda – janeiro 2022

Duas maiores barragens de rejeito do Brasil em MG entram na mira do MP – fevereiro 2023

Barragens de outras mineradoras

No distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, ocorreu a tragédia na Mina Germano, pertencente à Samarco. Foi em 05 de novembro de 2015: 19 mortos. A exemplo da Mina Córrego do Feijão, causada também por rompimento de estruturas de contenção de rejeito de minério.

Vale e autoridades da Prefeitura de Brumadinho e do Governo de Minas Gerais ignoraram alertas para o risco de uma tragédia como a de Mariana. Mas, nada foi feito.

Demais barragens pertencente às seguintes companhias

– Companhia Siderúrgica Nacional (CSN)

– Companhia Brasileira de Alumínio (CBA)

– Ipê-Emicon

– Nexa Recursos Minerais

– Usiminas

– Nacional de Grafite

– Ferromar

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments