Carrefour põe bode nas gôndolas dos supermercados

  • por | publicado: 18/02/2020 - 20:03

Carrefour faz parceria, em Minas, com Super Nosso, e, em seguida, compra fatia do Makro com presença em 16 estados - Fotos: Divulgação/Redes Sociais

A aquisição, por R$ 1,953 bilhão, de fatia da rede Makro Atacadista S.A. pelo Grupo Carrefour, no domingo (16/02), não será absorvida facilmente pelos supermercados de Minas Gerais. E há motivos. Em 10 de outubro, o grupo francês, sem desembolso para as partes, passou 17 lojas da Região Metropolitana de Belo Horizonte para o Super Nosso administrar. Em até um ano, haverá troca de bandeiras.

No dia 15 de janeiro, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) aprovou a operação Carrefour-Super Nosso. Um mês depois, o Grupo Francês foi às compras no Makro. Desta vez, porém, gastou o suficiente para engolir o parceiro de Minas, se desejasse.

O Grupo Carrefour Brasil fisgou 30 lojas do atacadista Makro – a rede opera 70 lojas. Mas, incluiu em mesmo pacote 14 postos de revenda de combustíveis. Os pontos usarão bandeira Atacadão S.A. Em, 2019, nas mãos do Makro, teriam faturado R$ 2,8 bilhões, conforme comunicado à B3 (Brasil, Bolsa, Balcão).

Parceria com Super Nosso prevê transferência de lojas para a rede mineira administrar. Em até um ano, deixarão de usar a bandeira Carrefour – Fotos: Divulgação Institucional das Empresas/Redes Sociais

Carrefour quer crescer 60% nas novas lojas

Naqueles pontos, o Carrefour pretende turbinar as vendas acima de 60%. Essa é a meta revelada pelo vice-presidente de Finanças e diretor de Relações com Investidores do Atacadão, Sébastien Durchon, quem assinou as nota ao mercado financeiro. No ano passado, contando com as vendas de gasolina, o Grupo Carrefour faturou no Brasil R$ 62,220 bilhões (sem gasolina, R$ 59,377 bilhões), crescimento de 10,4%.

Setor em Minas ficou vendido

Os pontos transferidos pelo Makro cobrem 16 estados (RJ, PR, GO, BA, PE, CE, MT, AL, SC, RS, SE, PA, AM, PB e TO) e o Distrito Federal. Das 30 lojas, 22 são próprias e oito alugadas.

É aqui, portanto, que reside a preocupação para os supermercados de Minas. Sete das lojas que o Carrefour assumirá estão no Estado do Rio, e oito na Região Nordeste. Assim sendo, os franceses se consolidarão nos dois mercados. São Paulo é fava contada há tempos. No meio do caminho, portanto, sobra Minas.

Assim, não será surpresa alguma se o Carrefour, de repente, estacionar seu caixa na praça de Minas em busca de ativos de ocasião.

O Atacadão, até então, 187 lojas no país. O prazo de transferência da marca nas lojas adquiridas poderá levar um ano também.

Por sua vez, o presidente do Conselho do Carrefour, Alexandre Bompard, lembra que o último salto significativo do grupo foi em 2007, a compra da rede Atacadão.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments