Deere compra joint venture com a Hitachi; inclui Brasil

  • por | publicado: 19/08/2021 - 16:48 | atualizado: 20/08/2021 - 16:19

Líder mundial em máquinas agrícolas, a John Deere desembolsa US$ 275 milhões e fica com parte da Hitachi na parceria criada em 1988- Foto: Deere/Divulgação

A norte-americana John Deere (Deere & Company), líder global em máquinas e equipamentos agrícolas e construção, encampou as três fábricas da joint venture com a japonesa Hitachi Construction Machinery. O comunicado de um “acordo definitivo” foi divulgado nesta quinta (19/08) à Bolsa de Nova York. A rescisão, portanto, põe fim aos “contratos de fabricação e marketing da joint venture Deere-Hitachi”, além operações comerciais conjuntas nas Américas.

De início, a Deere fará um desembolso de US$ 275 milhões pelas unidades fabris nos Estados Unidos, Canadá e Brasil (Deere-Hitachi Brasil). Mas, novos acordos – “representações, garantias, convênios habituais” – em tecnologia e serviços serão celerados. A previsão da norte-americana é a de que a nova forma operacional vigore a partir de 28 de fevereiro de 2022, ou seja, no final de seu 1º trimestre fiscal do próximo ano.

Portanto, a Deere assume 100% da fabricação e vendas de escavadeiras para construção, construção compacta e silvicultura. As fábricas estão em Kernersville (Carolina do Norte), Langley (British Columbia) e Indaiatuba (São Paulo). Após a conclusão das negociações, portanto, os produtos daquelas unidades terão apenas a marca registrada John Deere. Ou seja, interromperão a produção de escavadeiras da marca Hitachi. A japonesa, por conseguinte, assumirá a comercialização de seus itens de escavadeiras e mineração.

Porém, a fabricante dos EUA “continuará a oferecer um portfólio completo de escavadeiras por meio de um contrato de fornecimento com a Hitachi”. Isso é o que consta em um dos comunicados da Deere e assinado por Jen Hartmann, da Diretora de Relações Públicas. A mudança tem a ver com reestruturações que a norte-americana anuncia desde o auge da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), surgida na China , em dezembro de 2019.

Deere e Hitachi encerram 40 anos de parceria

As duas gigantes globais mantém parcerias desde o início dos anos da década de 1960, em “fornecimentos”. Mas, em 1988, surgiu a joint venture, a fabricação de escavadeiras (Kernersville). Dez anos depois, vieram as máquinas giratórias florestais (Langley). Em 2001, firmaram parcerias em marketing e distribuição pelas três Américas. Passados outros dez anos, portanto, em 2011, a Deere-Hitachi começa a produção de escavadeiras em Indaiatuba.

Legenda – Na comemoração dos 30 anos da joint venture, em 2018, as marcas contabilizavam 55 mil escavadeiras hidráulicas. Foto: Divulgação

Direitos em propriedades intelectuais

As partes estabeleceram que Deere herdará “certos direitos de propriedade intelectual relacionados a certos processos de fabricação sob um contrato de licença perpétua”.

Nessa operação, a parte norte-americana é representada pela John Deere Construction & Forestry Company (JDCFC)..

Passivos passam para Deere

O pacote do “Acordo Definitivo” estabelece, portanto, que a Deere assumirá todos os passivos e dívidas das entidades gerados, até então, pela joint venture. Os US$ 275 milhões iniciais cobrem “ações e uma licença de propriedade intelectual”, está no comunicado.

“A contraprestação em dinheiro será compensada pelo caixa adquirido e pela liquidação dos saldos entre as empresas. A Deere também assumirá substancialmente todos os passivos e dívidas das entidades de joint venture”, esclarece.

E complementa: “Espera-se que a Rescisão seja concluída durante o primeiro semestre do ano fiscal de 2022, sujeita ao recebimento de certas aprovações regulamentares exigidas, bem como certas outras condições habituais de fechamento. A companhia dos EUA espera financiar a contraprestação inicial e as despesas de transação com o dinheiro em caixa”.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments