GE e Wabtec criam líder global esnobada por Minas

GE Transportation e Wabetc Corporation criaram uma gigante de US$ 8 bilhões, que tem planta moderna em Contagem (MG) - Imagem/Divulgação da Fusão

GE Transportation (braço do Grupo GE) e Wabtec Corporation concluíram, em fevereiro, uma fusão que consolidou um novo líder global de equipamentos de tração, soluções e serviços no modal ferroviário, a Wabtec. As duas norte-americanas criaram uma terceira que vai faturar US$ 8 bilhões, em 2019, nos segmentos de cargas e passageiros. A fábrica de locomotivas da GE, em Contagem (MG), foi absorvida. Porém, em curtíssimo prazo, um fato tão relevante parece esquecido no Brasil. Não se viu nem se leu badalação por entidades da indústria regional. Mesma coisa em áreas de fomento à pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica (P,D&I) do Estado, nas universidades e C&Ts privados. O entendimento amplo da estratégia e relevância da fusão, em maior grau, continua restrito às duas gigantes, que, visionárias, se uniram.

“Após um acordo de fusão, a GE Transportation agora é uma empresa do grupo Wabtec. Com a junção das duas companhias, a Wabtec torna-se a líder mundial no segmento com componentes críticos, locomotivas, serviços, sistemas de sinalização e logística e serviços para as indústrias globais de transporte e logística. Atende às necessidades totais do ciclo de vida da frota, desde novas locomotivas até modernizações, serviços e reparos”. Essa a resposta (sem novidades) foi encaminhada, nesta terça (03), ao Além do Fato, pela Wabtec, ao questionamento sobre um sistema Mix Moving Line. No início de 2018, esse sistema, anunciado pela GE Transportation como “inédito no mundo” (ver abaixo), estava em implantação e seria consolidado em 2020.

Linha de montagem de locomotivas em movimento na planta da GE Transportation (atual Wabtec) em Contagem (MG) – Vídeo/Dilvulgação

Mesmo sem novidades, vale a reafirmação dos players. E mostra a insensibilidade na área da inovação em Minas Gerais. A falta de publicidade indica que os mineiros não se engajaram na oportunidade de uma carteira com elevado grau tecnológico que a fusão GE Transportation-Wabtec Corporation representa. Claro que isso é visto em outros estados. Outros países.

GE criou a montagem de locomotiva em movimento

Ao ser revelada a implantação do Mix Moving Line, a montagem de locomotivas em movimento, a GE Transportation colocava Contagem no centro do mundo, no segmento ferroviário. Para estabelecer todos os parâmetros do novo modelo, os técnicos realizaram mais de uma centena de simulações na construção de uma maquete, base para o entendimento das interferências que poderiam ocorrer na linha em movimento. A partir daí, foram determinados referenciais para o layout, tamanho da linha etc. Até mesmo a velocidade da locomotiva (1,15 km/h a 2,20 km/h). A fábrica buscava superação em vários itens (zerar desperdícios, otimizar processos,  ganhos de produtividade, performance nos prazos entregas, agilidades nas respostas por soluções etc.).  

Essa linha de montagem está conectada (por sensores) a sistemas interligados em redes inteligentes. Todos “problemas” e “anomalias” prováveis são corrigidos na fração mínima de tempo, após a leitura. E podem, evidentemente, ser identificados em outros centros conectados da GE (agora Wabtec). A revista “Época”, em fevereiro de 2018, descreveu assim: “Um dos grandes benefícios dessa nova linha foi tornar visíveis os problemas que ocorrem nas etapas de fabricação da locomotiva a medida em que ela é tracionada, o que resulta na identificação e resolução rápida desses problemas. Foi a partir dessa característica que o potencial digital desse projeto foi explorado” (sic). Ou seja, a percepção é em tempo real para tudo.

Wabtec, via assessoria de imprensa, deixou sem resposta duas questões: Como medir em unidades (locomotivas prontas para o cliente) o ganho que o sistema traz? Qual foi o investimento realizado? Alguns números da empresa (enviados hoje e extraídos em comunicados de 2019):

↘Presença: mais de 50 países

↘Funcionários: 27 mil

↘Receita: US$ 8 bilhões (estimativa 2019)

↘Negociação: Grupo GE vendeu parte dos ativos da GE Transportation à WabTec Corporation

↘Fusão: Parte cindida da GE Transportation se fundiu com subsidiária Wabtec

↘Controle: acionistas Wabtec, 50,8% da Wabtec, e, da GE, 24,3% – em bases diluídas. Entre ações ordinárias e preferenciais (conversíveis), GE possui 24,9% da Wabtec

↘Valores: GE recebeu US$ 2,9 bilhões.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments