TSE paga R$ 799 mi por urnas que ficarão fora do pleito

  • por | publicado: 28/07/2020 - 10:02

TSE utilizará urnas licitadas para substituir parte do estoque que em final de vida útil - Foto: TSE/Divulgação

Por R$ 799.997.366,01, a Positivo Tecnologia SA fornecerá 180 mil novas urnas eletrônicas licitadas pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A vencedora da Licitação 43/2019 foi proclamada na quinta-feira, mas o resultado publicado ontem (27/07).

Contudo, os equipamentos não serão utilizados nas eleições municipais de novembro. De acordo com o Tribunal não haveria tempo hábil para a entrega pelo fabricante nem para programação.

TSE usará urnas velhas

A Positivo, com sede em Curitiba (PR), fabricará urnas do modelo EU 2020. Com esse lote, o TSE substituirá parte do conjunto de 470 equipamentos disponíveis pelo país. Essas urnas foram fabricadas por ocasião das eleições de 2006 e 2008. O tribunal avalia que a vida útil delas está esgotada e, portanto, precisam ser substituídas.

O processo de escolha foi aberto pelo TSE em setembro de 2019. A proposta da Positivo derrotou a do consórcio SMTT, liderado pela Smartmatic do Brasil.

Nas eleições de novembro, TSE utilizará urnas de 2006 e 2008 – Foto: TSE/Divulgação

Positivo reverteu prejuízo

Companhia com ações do capital social listadas na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão), a Positivo fechou balanço do 1º trimestre com receita líquida de R$ 378,6 milhões, ou seja, 8,9% superior ao 1T19. O resultado final foi lucro de R$ 4,4 milhões, revertendo, então, o prejuízo de R$ 4,6 milhões de mesmo período em 2019.

Logística no Paraná

No Paraná, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) desembolsará R$ 1.164.918,70 com a Intermodal Brasil Logística Ltda para a distribuição e recolhimento das urnas eletrônicas e cabinas de votação.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.