Bolsonaro assina MP que afeta mídia impressa e a transparência

“Espero que o jornal Valor Econômico sobreviva a essa medida (MP)”, disse, na manhã de hoje (6), em São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) ao anunciar, em discursos irônico, que editou MP (medida provisória 892) que acaba com publicação de balanço de empresa em jornais impressos.

Por meio dessa MP, empresas de capital aberto poderão publicar seus balanços no site da CVM (Comissão de Valores Mobiliários) ou no do DO (Diário Oficial), em vez de veículos impressos.

Leia aqui a MP na íntegra

Em seu discurso, Bolsonaro questionou se a “imprensa de papel” iria publicá-lo. “Essa imprensa que eu tanto amo”, afirmou, em meio a risos do público presente em evento do setor automotivo (abertura do 29º Congresso da Expofenabrave).

A MP pode afetar o faturamento dos jornais. “Para ajudar a imprensa de papel. E para facilitar a vida de quem produz também, a nossa medida provisória faz com que os empresários possam publicar seus balanços a custo zero em sites da CVM ou no Diário Oficial da União“, acrescentou.

“As grandes empresas gastavam com jornais em média R$ 900 mil por ano. Vão deixar de gastar isso aí. Eu tenho certeza que a imprensa vai apoiar isso aí. Obra de uma caneta BIC ou Compactor”, finalizou em meio a risos.

Em seguida, cobrou que a imprensa divulgue apenas a “verdade”. “Eu quero que a imprensa venda a verdade para o povo brasileiro e não faça política partidária, como vêm fazendo alguns órgãos de imprensa.”

Ainda ontem, disse que a medida era uma retribuição às ações da mídia que, segundo ele, “o esculachava e chamava de fascista”. ​A ação política do presidente contra os jornais afeta também a transparência. Em vez de jornais de grande visibilidade, os balanços poderão ser publicados/postados em sites de pouco acesso.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.