Bolsonaro desafia ministro do Supremo e crise política ganha mais combustível

Presidente Bolsonaro faz desafio a ministro de Moraes, do STF, e crise política pode se agravar. Foto - Agência Brasil

Presidente Bolsonaro faz desafio a ministro de Moraes, do STF, e crise política pode se agravar. Foto - Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro, como já havia deixado claro, não engoliu a decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), de impedir a posse de Alexandre Ramagem na diretoria-geral da Polícia Federal. Mas hoje foi mais longe: depois de informar que o país esteve ontem à beira de uma crise institucional, decidiu fazer um desafio a Moraes:

“Essa decisão do senhor Alexandre de Moraes ontem, tá certo, no meu entender falta um complemento para mostrar que não é uma coisa voltada pessoalmente para o senhor Jair Bolsonaro. Falta ele decidir se o Ramagem pode ou não continuar na Abin (Agência Brasileira de Inteligência). É isso que eu espero dele”, disse logo cedo em frente ao Palácio da Alvorada em conversa com jornalistas.

E acrescentou: “Se ele (Moraes) não se posicionar, ele está abrindo a guarda para eu nomear o Ramagem independente da liminar dele. É isso que nós não queremos. Queremos o respeito de dupla mão entre os Poderes”, acrescentou.

O presidente estica a corda, como faz com frequência, para testar a resistência. Considera que a Suprema Corte, que seus seguidores, em boa parte, querem que seja fechada, invade sua prerrogativa de indicar o chefe da Polícia Federal. Parêntese: caso semelhante ocorreu com a ex-presidente Dilma Rousseff. Ela indicou o ex-presidente Lula para a Casa Civil, mas o ministro Gilmar Mendes, também de forma monocrática, impediu sua posse. Fecha parêntese.

Dentro da máxima de que decisão judicial não se discute, cumpre-se, Bolsonaro cumpriu o que determinou o ministro Alexandre e Ramagem no foi para a Polícia Federal. Mas ele discute, sim, a decisão do ministro, ameaça recuar e rever sua posição.

A ver se o presidente terá a ousadia de atravessar o Rubicão, desobedecer o STF e indicar novamente Ramagem para a PF, o que elevaria a um grau perigoso a crise política que o pais já atravessa. Lembrando o general Júlio Cesar: alea jacta est (a sorte está lançada).

Abaixo, a entrevista do presidente Bolsonaro hoje pela manhã em que desafia o ministro Alexandre de Moraes:

Relacionada

Polícia Federal feito ‘puxadinho’. Será aceita?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.