De olho na reeleição, Bolsonaro monta roteiro para inaugurar obras de Lula e Dilma

  • por | publicado: 30/08/2020 - 10:29
Presidente inaugura trecho das obras de transposição do rio São Francisco, no Ceará. Foto - Isac Nóbrega-PR

Presidente inaugura trecho das obras de transposição do rio São Francisco, no Ceará. Foto - Isac Nóbrega-PR

de olho na eleição de 2022, o presidente Jair Bolsonaro vai inaugurar um conjunto de obras de infraestrutura que foram, na sua grande maioria, iniciadas nos governos dos petistas Lula e Dilma Rousseff. É o que revela a coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, na sua edição de hoje.

Conforme a publicação, no cronograma das 33 obras a serem inauguradas até o final do ano, 25 delas foram iniciadas pelos petistas, duas começaram a ser executadas no governo do presidente Michel Temer (MDB) e apenas seis saíram do papel na gestão de Bolsonaro.

Pelo levantamento feito pelo jornal, 18 das obras são do setor rodoviário. Mas, dessas, apenas uma foi inteiramente conduzida pelo Ministério da Infraestrutura de Bolsonaro – a construção da ponte sobre o rio Paranaíba, na BR-235, entre as cidades de Santa Filomena, no Piauí, e alto Paranaíba, no Maranhão. As outras 17 integraram o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que foi criado em 2007 na gestão de Lula.

“Nenhum programa novo”

O presidente tem tratado essas obras como realizações de seu governo e a intenção é viajar pelo menos duas vezes por semana para cumprir esse cronograma de inauguração. Isso apesar da pandemia do coronavírus, que já infectou quase 3 milhões de brasileiros e matou mais de 120 mil em aproximadamente seis meses.

Com as inaugurações, o presidente tenta aproveitar a onda de popularidade que conseguiu com o auxílio emergencial de R$ 600 que foi oferecido a milhões de brasileiros por conta da pandemia. Mas, conforme o jornal, a agenda de inaugurações de Bolsonaro está provocando críticas de alguns governadores.

É o caso do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). “Não há obras iniciadas por ele. Nenhum programa novo. Ele só está visitando obras alheias e mudando nome de programas já existentes”, criticou o governador em entrevista à Folha de S. Paulo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments