Desempenho do presidente Bolsonaro nas redes sociais está piorando, aponta pesquisa

  • por | publicado: 11/02/2020 - 13:20
Presidente Jair Bolsonaro desce do carro na saída do Palácio da Alvorada, hoje (11-02) de manhã, para cumprimentar apoiadores. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Presidente Jair Bolsonaro na saída do Palácio da Alvorada, hoje (11-02), desce do carro para cumprimentar apoiadores. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Se o ano de 2019 foi marcado por um amplo apoio ao governo Jair Bolsonaro nas redes sociais, 2020 começa de forma diferente, como mostra monitoramento de imagem do presidente realizado pela empresa AP Exata, publicado hoje pelo jornal “O Estado de S. Paulo”.

No mês passado, os comentários negativos sobre o governo se aproximaram dos favoráveis no Twitter, conforme o levantamento da AP Exata. Foram 14 dias de menções majoritariamente críticas ante 16 dias em que os apoios dominaram as redes. Em um dia, as publicações favoráveis e contrárias ficaram no mesmo nível.

Já no início de fevereiro, o monitoramento indica que a posição mais crítica em relação ao governo deve seguir avançando nas redes sociais. Até domingo (9), foram seis dias negativos, dois neutros e um positivo.

De acordo com avaliação dos analistas da empresa AP Exata, estes números apontam uma tendência de mudança de comportamento na internet em relação a 2019. No ano passado, foram 246 dias de menções positivas em relação ao presidente, contra 79 dias de críticas e 39 dias neutros.

Perda de controle

Bolsonaro está perdendo o controle narrativo nas redes”, afirmou ao Estadão o diretor da AP Exata, Sergio Denicoli.

Segundo ele, o eleitorado de Bolsonaro não demonstra neste ano a mesma disposição para fazer a defesa do presidente. “O silêncio prejudica Bolsonaro. Para ele, é importante que as pessoas se manifestem a favor dele, mas são posicionamentos tão fortes (feitos pelo presidente) que as pessoas começam a ficar mais receosas. É difícil manter este grau de militância durante quatro anos.”

Pelo levantamento da AP Exata, 3 de janeiro deste ano foi o dia que mais rendeu comentários negativos contra Bolsonaro desde que ele assumiu o governo, em janeiro de 2019. Um dia após o ataque dos dos EUA no Iraque que matou o general iraniano Qassim Suleimani, internautas que temiam o alinhamento do Brasil com os americanos criaram a hashtag #BolsonaroFicaCalado.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.