Em São Borja, não basta ser da família de João Goulart

  • por | publicado: 30/11/2020 - 16:25

Christopher, neto do ex-presidente Jango, derrotado para Prefeitura de São Borja RS - Fotos: Divulgação/Instituto João Goulart

Terra natal dos ex-presidentes Getúlio Dornelles Vargas e João Belchior Marques Goulart, São Borja (RS) não elege mais pelo cabresto. A notoriedade política local ganhou peso por ser local onde foi sepultado também o ex-governador (RS e RJ) Leonel de Moura Brizola (PDT).

Nestas eleições municipais, Christopher Goulart, neto do ex-presidente João Goulart, experimentou o tempero da rejeição samborjense. Nascido em Londres, em 1976, levou balaiada do prefeito Eduardo Bonotto (PP). Recebeu 8.205 votos (24,62%), contra 22.152 (66,48%), dados ao candidato reeleito.

Formado em Cinema na antiga União Soviética (URSS), Christopher foi vereador por Porto Alegre. Conquistou esse mandato após passagem por uma diretoria da Secretaria estadual de Esportes.

O outro candidato derrotado neste pleito, também carrega sobrenomes que entrelaçam os dos ex-presidentes: advogado João Luiz Marques Dornelles (DEM). Vereador eleito (QP) em 2016, ele obteve 2.966 votos, ou seja, 8,90%.

Lula perdeu também

Christopher concorreu pelo PDT, aliado ao PT, do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e ao PCdoB. O PT indicou o vice, Renê Ribeiro.

Dos 48.583 eleitores do município, 31,34% (15.213) não escolheram candidatos. Formaram, portanto, o coletivo dos ausentes e votos brancos e nulos.

Vexame do pai

Em 2018, o pai de Christopher, João Vicente Goulart, 64 anos, usando o nome João Goulart acrescido de Filho (João Goulart Filho), levou surra nacional.

João Vicente (E) e o filho Christopher – respectivamente, filho e neto do ex-presidente João Goulart. Ambos rejeitados por eleitores de São Borja.

Formado em Filosofia e ex-deputado estadual (eleito pelo PDT-RS, em 1982), amargou a última colocação na disputa para Presidência da República (30.176 votos ). Ou seja, recebeu míseros 0,03%. Assim, assegurou última posição.

Em São Borja, o filho de Jango ficou na antepenúltima posição. Os conterrâneos do ex-presidente dedicaram a ele apenas 59 votos. Portanto, acreditou nas propostas dele somente 0,12% dos 48.485 habilitados. Destes, 35.592 (73.41%) compareceram às urnas.

O pai de Christopher coleciona mais derrotas. Em 2010, tentou uma cadeira na Câmara Legislativa do Distrital Federal. Levou para casa minguados 674 votos, ou seja, 0,5%.

Primeira surra dos samborjenses

Nas eleições de 2014, Christopher figurou como 1º suplente ao Senado. O PDT se aliou ao PSC, DEM, PV e PEN. A chapa venceu. Ele, então, é suplente até 2022.

O senador eleito na coligação foi Lasier Martins. Abocanhou 2.145.479 votos. Derrotou, portanto, nada menos que o ex-governador gaúcho e ex-ministro Olívio Dutra (PT). Este reuniu 2.024.417 votos.

Todavia, se a coligação dependesse exclusivamente do tal legado do neto de Jango na votação de São Borja seria derrotada. Os samborjenses deram 13.218 para Olívio e, 13.196, para Lasier.

O ex-governador (1999-2002) se empenhou na instalação de duas universidades públicas para o município: UERGS e da Unipampa – Universidade Federal do Pampa.

Tarso Genro, ex-governador e ex-ministro(2011-2014 – PT), também nasceu em São Borja.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vasco Ceretta

comment image Sou natural de São Borja, e olha aqui João Goulart não plantou uma árvore. Dai esses familiares aparecem aqui só na época da eleição exortando um parente, outrora politico comunista querendo votos ? Propagandeando ser “filho de João Goulart, como a população não soubesse que o quer este candidato é notoriedade . Não esta preocupado com nossa cidade, apenas o que quer são os votos. Depois da eleição some até o próximo pleito. Ainda pra completar fez uma coligação nada menos que com dois mortos, PT e PCdoB, e não fica nem corado?

Vasco Ceretta

Sim não basta ser da familiar Goulart, alias não significa nada.

A verdade

Christopher Goulart, nascido em 1976 no exílio em Londres, é formado em Direito. Membro do Diretório Nacional do PDT e da Executiva Estadual do PDT do Rio Grande do Sul. Sem máquina e sem o poder econômico, conseguiu quase 25%. O resto, via de regra, é calúnia e difamação de uma notícia oficiosa e tendenciosa. Notícia CHAPA BRANCA!