Lideranças mineiras se unem para cobrar dívida bilionária do governo federal

Agostinho Patrus e governador Romeu Zema durante reunião hoje de manhã para discutir Lei Kandir. Foto-ALMG

Lideranças políticas de Minas, à frente o presidente da Assembleia Legislativa, Agostinho Patrus, e o governador Romeu Zema (Novo), fecharam agora de manhã um acordo para cobrar do governo federal uma dívida de R$ 135 bilhões, referente a perdas do estado com a Lei Kandir.

Na audiência pública no Supremo Tribunal Federal, no próximo dia 5 de agosto, os líderes vão propor ao governo federal que a dívida seja paga em 60 anos, o que daria cerca de R$ 2,2 bilhões por ano. Com mais R$ 4 bilhões a que o Estado teria direito (de um montante de R$ 18 bilhões que a União deveria repartir entre os Estados), Minas Gerais receberia, anualmente, por volta de R$ 6 bilhões.

As propostas do Estado foram consolidadas num documento chamado “Carta de Minas”, que será entregue ao ministro Gilmar Mendes, que tenta um acordo entre União e Estados em torno da Lei Kandir.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
0 0
Views:
293
Categorias:
Política