Pesquisa aponta empate técnico entre presidente Bolsonaro e o petista Lula

  • por | publicado: 12/02/2020 - 19:06
Pesquisa da consultoria Atlas Político mostra que, se as eleições presidenciais fossem hoje, haveria empate técnico entre Bolsonaro e Lula. Sérgio Lima/PODER 360

Pesquisa da consultoria Atlas Político mostra que, se as eleições presidenciais fossem hoje, haveria empate técnico entre Bolsonaro e Lula. Sérgio Lima/PODER 360

Levantamento feito pela consultoria Atlas Político, publicada pelo jornal EL País, mostra que, se as eleições presidenciais fossem hoje, haveria um empate técnico entre o presidente Jair Bolsonaro e o petista Luiz Inácio Lula da Silva. Bolsonaro aparece na frente com 32% das intenções de voto, enquanto o petista tem 28%. Como a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, eles estão tecnicamente empatados.

Em terceiro lugar na preferência do eleitorado aparece o ex-juiz e atual ministro da Justiça Sérgio Moro, com 20% das intenções de voto, seguido mais de longe por Luciano Huck, com 6%, Flávio Dino (PCdoB), atual governador do Maranhão, com 3% e João Dória (PSDB), governador de São Paulo, com 0,6%.

Ciro Gomes (PDT) não foi incluído na listagem para, segundo a consultoria Atlas Político, poder delimitar o número de cenários. Seu nome será incluído em outra rodada de pesquisas.

A pesquisa foi realizada na Internet via convites randomizados com 2.000 pessoas, entre os dias 7 e 9 de fevereiro, em todas as regiões do país. A margem de erro é de 2 pontos percentuais para mais ou para menos e o nível de confiança é de 95%.

Num cenário em que nem Lula e nem Moro entram na disputa, a preferência por Bolsonaro aumenta. Ele teria 41% das intenções de voto. Em segundo lugar, tecnicamente empatados, aparecem Luciano Huck, com 14%, e Flávio Dino com 13%. João Dória, nesse cenário, aparece com 2,5% das intenções de voto.

Lei da ficha limpa

Se as eleições fossem hoje, entretanto, Lula não poderia ser candidato. Ele está impedido pela Lei da Ficha Limpa de disputar eleições, já que foi condenado em segunda instância – embora sua defesa esteja pedindo no Supremo Tribunal Federal (STF) a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro, que o condenou em primeiro instância, o que poderia anular sua condenação e seu processo voltaria para a estaca zero.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments