BH e 19 municípios não aderem a acordo com estado

Um total de 97,7% dos municípios (833 dos 853) aderiu ao acordo entre a Associação Mineira de Municípios (AMM) e o governo mineiro, garantindo o pagamento a eles, em 33 parcelas a partir de janeiro do ano que vem, dos R$ 7 bilhões em repasses constitucionais confiscados pelo Estado durante dois anos, referentes aos impostos ICMS e IPVA, além do Fundeb e transporte escolar.

Kalil, PBH, acordo estado Zema

Kalil quer mais dinheiro e só assina acordo se receber atrasado da saúde- Amira Hissa/PBH

Um total de 97,7% dos municípios (833 dos 853) aderiu ao acordo entre a Associação Mineira de Municípios (AMM) e o governo mineiro, garantindo o pagamento a eles, em 33 parcelas a partir de janeiro do ano que vem, dos R$ 7 bilhões em repasses constitucionais confiscados pelo Estado durante dois anos, referentes aos impostos ICMS e IPVA, além do Fundeb e transporte escolar. O prazo para a adesão terminou na segunda-feira (15), mas, como BH não entrou, ainda há uma porta aberta para os retardatários. “Com esse acordo, vamos gastar menos energia com processos judiciais e direcioná-la para outras iniciativas voltadas para o cidadão”, disse o articulador do acordo, o presidente da AMM e prefeito de Moema (Centro-Oeste), Julvan Lacerda.

VEJA LISTA DOS QUE FICARAM DE FORA

Alvinópolis; Amparo do Serra; Barra Longa; Belo Horizonte; Bom Jesus do Galho; Brumadinho; Campo Belo; Capetinga; Carmo de Minas; Douradoquara; Frutal; Iraí de Minas; Naque; Nova Ponte; Pouso Alto; Prata; Santa Rita de Jacutinga; Santa Vitória; São Francisco de Sales e Ubaporanga.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
0 0
Views:
370
Categorias:
Política