Sindicato e Procon se unem para socorrer servidor público superendividado

Servidores participam de curso de reeducação financeira, reprodução site Sind-Saúde/MG

Uma pesquisa realizada pelo Sind-Saúde/MG, durante dois anos, apontou que o perfil de servidores estaduais da saúde superendividados é crescente, pulverizado e pior: consumia uma margem altíssima dos salários e até outros benefícios como o vale transporte.

De acordo com a pesquisa, créditos consignados que comprometem mais da metade da remuneração líquida dos servidores públicos da saúde são a realidade dos chamados superendividados.

Com esse diagnóstico, o Sindicato criou, em parceria com o Procon Assembleia Legislativa, o Programa de Apoio e Negociação ao Superendividado. Núbia Dias, idealizadora do programa, advertiu que é preciso limitar a 30% da remuneração líquida para empréstimos consignados. E apresentou três pilares para deter a bola de neve: renegociação com os bancos, participação no curso e não pegar crédito consignado pelos próximos dois anos.

Lançado no final do mês passado, a primeira fase do curso de reeducação financeira irá atender a cerca de 450 servidores que estão hiper endividados para depois atender àqueles que correm menos riscos.

Há mais de três anos, os servidores não têm reajuste do salário e ainda o recebem parceladamente em duas vezes dentro do mês, além do 13º salário do ano passado em 11 parcelas, até dezembro de 2019.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
0 0
Views:
637
Categorias:
Política