Três pré-candidatos deixam cargos; secretário será vice de Kalil

Kalil e seu provável vice na chapa de reeleição, o fiel escudeiro Fuad Noman, foto Ascom PBH

Em ato do prefeito Alexandre Kalil (PSD), no sábado (30), o secretário da Fazenda de Belo Horizonte, Fuad Noman, deixa o cargo a partir desta segunda (1). O motivo da exoneração é para que ele cumpra o prazo eleitoral de desincompatibilização (4 meses antes da votação) e fique disponível para a disputa. Kalil o quer como seu candidato a vice na chapa de reeleição.

Serão exonerados com o mesmo objetivo eleitoral, até a próxima quarta (3), o presidente da Prodemge, Rodrigo Paiva, candidato a prefeito pelo Novo, e a secretária-adjunta de Planejamento, Luísa Barreto, nome do PSDB.

Se as eleições fossem hoje, Fuad seria o candidato a vice-prefeito de Kalil e, se nada mudar, deverá ser, caso as eleições ocorram no dia 4 de outubro ou outra data. Por isso, deixou o cargo há quatro meses da eleição conforme prevê a lei eleitoral sobre as desincompatibilizações.

Cargo é cobiçado pelos aliados

Fuad é nome de confiança de Kalil e o manterá caso não tenha que fazer alterações por conta de eventuais composições políticas que eventualmente fará ou tenha que fazer. Como é sabido, o atual vice, Paulo Lamac (Rede), não será candidato à reeleição, já que a relação dele com o prefeito perdeu força durante o atual mandato.

O cargo de vice de Kalil na chapa de reeleição é um dos mais cobiçados pelos partidos aliados. Por quê? Se confirmada a reeleição, o prefeito disputar as eleições para governador em 2022, o que transformaria seu vice em prefeito a partir de abril do mesmo ano.

Outros dois nomes que devem deixar seus cargos nesta semana, com o mesmo objetivo. Um deles é Rodrigo Paiva, presidente da Prodemge (a estatal de tecnologia da informação do governo de Minas). Ele será o candidato a prefeito do governador Romeu Zema e de seu partido, o Novo, para as eleições. Outra aliada de Zema é a secretária-adjunta de Planejamento estadual, Luíza Barreto, que sairá do cargo para se preparar para a disputa ao cargo de prefeito pelo PSDB. Os atos de exoneração deles deverão ser publicados na próxima quarta-feira.

Outros nomes na disputa

Kalil, Paiva e Luíza deverão disputar as eleições ainda contra os candidatos do Cidadania, o deputado João Vitor Xavier. O PT e o PSOL ainda não definiram seus nomes para a disputa, mas deverão estar no páreo. Da mesma forma, nomes ligados ao presidente Jair Bolsonaro, que está sem partido, mas tem muitos aliados ainda no PSL, seu ex-partido, como o deputado estadual Bruno Engler.

Situação da pandemia definirá

A Justiça Eleitoral e o Congresso Nacional mantêm as datas e o calendário eleitoral. Já a Confederação Nacional dos Municípios e a Associação Mineira dos Municípios (AMM) pedem o adiamento e a unificação das eleições para 2022, com prorrogação de mandatos. A situação da crise sanitária no país, com a pandemia do coronavírus, deverá ser o critério de definição, já que a orientação é evitar aglomerações e manter o distanciamento social.

Zema desiste do apoio político e vai assumir projeto liberal que o elegeu

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
0 3
Views:
1769

All Comments