Censura ao INPE varreu do site incêndios na Amazônia

  • por | publicado: 11/09/2020 - 18:16

Incêndio Amazônia - Foto: Agência Brasil

As censuras do presidente Jair Bolsonaro e do vice, general Hamilton Mourão, ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) implicaram numa faxina ao noticiário no Portal do instituto. O rigor do cerceamento castrense é tal que não há, nesta sexta (11/09), por exemplo, notícia direta, de 2020, sobre incêndios na Amazônia e Pantanal.

Mas, noticia queimadas nas florestas da Guatemala (Imagens de satélite do Brasil auxiliam atendimento a incêndios florestais na Guatemala – 12/05/2020), na América Central.

Os impedimentos ao INPE, de divulgar os estudos que faz com auxílio de satélites sofisticados, ficaram frequentes com as críticas internacionais. Irritam ao Governo, por exemplo: Chefes de Estado e Governo da União Europeia, administradoras dos fundos internacionais e o ator Leonardo DiCaprio.

Reprodução Portal do INPE – Mensagem aborda confiabilidade dos estudos do Instituto.

General e ministro negam…

Mas, surpreende o vídeo compartilhado por Mourão e ministro de Meio Ambiente, Ricardo Salles: “a Amazônia não queima”. Além disso, porque exibe foto de mico-leão-dourado como sendo daquela fauna. Porém, o animal habita o bioma Mata Atlântica.

Incêndio na Amazônia – Imagens do Greenpeace/Redes Sociais

… mas FAB vê Amazonia em chamas

O general e o ministro, portanto, contrariam imagens armazenadas e registros diversos do próprio Governo. Por exemplo:

  • – imagens de satélites captadas por potentes computadores do INPE;
  • reportagens Agência Brasil/EBC;
  • – filmagens das brigadas militares e do Ibama de combates aos incêndios etc.

Além disso, há documentários do próprio Ministério da Defesa. Entre estes, missões dos aviões C-130 Hércules da FAB, que lançam água sobre focos de incêndio.

C-130 Hércules da FAB começou ontem (10/09) combate às queimadas na Floresta Nacional dos Carajás (Parauapebas e Canaã/PA). Aeronave pousou quarta (foto) no Aeroporto de Carajás, em Parauapebas. O Exército informou que foi solicitada pelo Comando Conjunto do Norte (C Cj N), em Belém (PA). “Com o objetivo de intensificar o combate ao fogo” – Foto: Comando do Exército

O binômio Amazônia-Covid-19 é, sem dúvida, a maior marca negativa da administração de Jair Bolsonaro.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.