Copasa na Justiça contra multa por cobrança indevida

  • por | publicado: 26/11/2021 - 20:38

Esgoto a céu aberto em Belo Horizonte Foto: Zig Koch/ Agência Nacional de Águas

A Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) convocou, nesta sexta (26/11), AGE para votar proposta de duas ações na Justiça contra multas por serviços não prestados, mas cobrados, em Belo Horizonte. O edital não especifica valor. A companhia, entretanto, revelou, em 09/09, que a Agência Reguladora de Serviços de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário do Estado de Minas Gerais (Arsea-MG) aplicara multa de R$ 246,857 milhões.

O Conselho de Administração, porém, concordava apenas em parte, com a devolução aos consumidores de R$ 130,753 milhões. Mas, discordava dos juros em dobro, de R$ 116,104 milhões. E, portanto, propunha o “ajuizamento de ação”. A Copasa, com ações do capital listadas na Bolsa B3 (Brasil. Bolsa. Balcão), é controlada pelo Governo de Minas Gerais: 50,04% do capital total.

RELEMBRE AQUI:

Copasa usará chuvas como defesa

O edital da Copasa convocou a AGE para 17/12 com duas propostas de ajuizamentos. O primeiro é contra o processo administrativo “ARSEA Nº 05/2019 – faturamento dos serviços de esgotamento sanitário no município de Belo Horizonte”. O segundo, relativo ao processo Nº 21/2021, está assim apresentado: “fortes chuvas que impactaram os serviços de esgotamento sanitário no município de Belo Horizonte”.

Valores das tarifas de serviços de água e esgoto cobradas pela Copasa são queixas recorrentes e temas frequentes em eventos da Arsea-MG. A agência, criada em 2009, é subordinada à Secretaria de Estado do Meio Ambiente. Entretanto, opera em regime de autarquia com autonomia administrativa, financeira, técnica e patrimonial.

MATÉRIA RELACIONADA:

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments