Lockheed pode recomprar até US$ 3 bi em ações

  • por | publicado: 1/10/2020 - 17:19

Lockheed Martín é fabricante dos caças F-35. Acima, um F-35A Lightning II. Foto RAFF Divulgação 2019

Recompra adicional de US$ 1,3 bilhão em ações da própria companhia e pagamento de dividendos de US$ 2,60 por ação do 4T20 – encerrado em setembro. Essas medidas foram anunciadas pela Lockheed Martin Corporation, na sexta (25/09), após reunião do Conselho de Administração.

Com a nova autorização do Conselho, o programa da Lockheed Martin, de recompra de ações de emissão, poderá chegar aos US$ 3 bilhões. No câmbio desta quinta (01/10), então, R$ 16,92 bilhões.

A companhia é fabricante dos caças F-35 e controladora da Sikorsky, montadora de helicópteros (militar e comercial). As ações do seu capital estão listadas na Nyse. É, portanto, uma companhia aberta.

A Lockheed Martin fornece aeronaves, equipamentos de defesa e soluções aeroespaciais com prioridade ao Governo dos Estados Unidos. Todavia, oferta seus equipamentos de forma global. Portando, vende e presta serviços também a países aliados dos EUA. Então, está presente em todos os continentes com:

  • – sistemas não tripulados, robótica;
  • – energia;
  • – sistemas marítimos;
  • – mísseis, sensores, armas guiadas, defesa contra mísseis e programas;
  • – operações multidomínio;
  • – espaço;
  • – treinamento, logística e manutenção;
  • – laboratórios e tecnologias emergentes.

Lockheed sinaliza para Bolsa

O Conselho de Administração, todavia, deixou para a diretoria executiva da Lockheed Martins decidir o volume e “o momento das compras” das ações. Mas, entre tantos fatores que levam uma companhia a recomprar ações estão, estão itens muito importantes. A diretoria da Lockheed, portanto, recebeu o crivo dos acionistas.

A fabricante norte-americana não sinalizou sua estratégia no momento. Todavia, no mercado de ações, é comum jogar para os investidores. Certamente, então, a empresa, certamente, filtrou fatores como:

  • – demonstração de “força” ao mercado (Bolsa);
  • – para reverter baixa avaliação do mercado aos seus papéis;
  • – baixar custos com dividendos;
  • – sinalizar bom momento para os investidores etc.

A Lockheed Martin emprega ao redor de 110 mil pessoas pelo mundo. A empresa se posiciona como “dedicada, principalmente, à pesquisa, projeto, desenvolvimento, fabricação, integração e sustentação de sistemas, produtos e serviços de tecnologia avançada”.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.