Prêmio Anticorrupção, em MG, vai para escolas do interior

  • por | publicado: 6/11/2019 - 18:33 | atualizado: 7/11/2019 - 00:20

Estudam no interior de Minas os três alunos mineiros vencedores (em MG) do 11º Prêmio Anticorrupção da CGU - Foto: Divulgação/CGU

Estão matriculados em duas escolas da rede pública e uma particular os três alunos premiados, em Minas, no 11º Concurso de Desenho e Redação da Controladoria-Geral da União (CGU), 2019. A premiação é do Núcleo de Ação da Prevenção à Corrupção. Os alunos estudam em escolas dos municípios de Nova Ponte, Itabira e Rio Parnaíba. O concurso é parte da programação do Fórum de anual anticorrupção (ver abaixo).

Coordenado pela Secretaria de Transparência e Prevenção da Corrupção, o concurso premiou três alunos em cada uma das séries (sem fixar classificação) dos ensinos Fundamental, Médio e EJA (Educação de Jovens e Adultos) de todo país. Serão agraciados também os professores orientadores e três instituições escolhidas como “Escola Cidadã”.

A categoria Desenho foi reservada aos alunos do 1º ao 5º ano do Fundamental, e, Redação, do 6º ao 9º Fundamental, 1º ao 3º do Médio e da EJA. Portanto, 15 alunos foram premiados pelos desenhos inscritos e, nas redações, outros 24.

Alunos de Minas e as “Escolas Cidadãs”

O 39 alunos premiados estudam em escolas dos 26 Estados e Distrito Federal. A premiação abrange escolas públicas e privadas. Os premiados de Minas Gerais são:

  • Marcelo Yudi Martins da Conceição (Categoria Desenho) – do 2º ano do Ensino Fundamental, da Escola Municipal Professor Rosemir Carlos de Medeiros Ramos; professor Gleidis Camargo Martins. De Nova Ponte;
  • Letícia Cândido Barcelos (Categoria Redação) – do 6º ano do Ensino Fundamental, do Colégio Comercial Itabirano (privado); professora Gracielle Ramos. De Itabira;
  • Amanda Iara Santos (Categoria Redação) – do 9º ano do Ensino Fundamental, da Escola Estadual Dr. Adiron Gonçalves Boaventura; professora Vanda Ferreira Borges. De Rio Parnaíba.

Entre as instituições que se inscreveram para avaliação dos trabalhos de “Plano de Mobilização”, as premiadas como “Escolas Cidadãs” são públicas estaduais:

  • Colégio Estadual Félix Mendonça, de Itabuna (BA);
  • Colégio Militar da Polícia Militar de Goiás, de Jataí (GO);
  • Escola Estadual Dr. Silva Mariz, de Marizópolis (PB).

O prêmio para cada aluno e o respectivo professor orientador será um tablet, além de receberem o certificado de premiação e reconhecimento emitido pela CGU. As escolas, por sua vez, ganharão um notebook e o certificado. As premiações, conforme o Artigo 23 do Regulamento, ocorrerão “a critério da CGU”, podendo ser nas escolas “ou em cerimônia específica informada pela CGU”. Porém, não sendo possível a realização de uma cerimônia, os prêmios serão encaminhados às residências dos premiados.

Fórum anticorrupção da CGU

Entre os dias 3 e 5 de dezembro, em Brasília, a CGU realiza o “Fórum: O Controle no Combate à Corrupção”, popularmente conhecido por Fórum Anticorrupção. Como sempre, a linha central dos debates circunda a relevância do controle na melhoria da gestão pública e no combate à corrupção. O Fórum é gratuito e faz parte do calendário de celebração do Dia Internacional Contra a Corrupção, 9 de dezembro.

Governo Lula sugeriu data à ONU

Essa data comemorativa foi acolhida pelas Nações Unidas (ONU), em Mérida (México), durante reunião em que vários países assinaram uma convenção de cooperação internacional para ampliar a prevenção contra a corrupção. Foi em 9 de dezembro de 2003, por sugestão da delegação do Brasil.

Por ironia, no ano seguinte (2004), surgiam os primeiros indícios de existência do maior caso de corrupção política no Brasil com uso de verbas públicas envolvendo o Executivo e o Legislativo. Ficou conhecido por “Mensalão do PT”.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

#MensalãoDoPT #ONU #GovernoLula #Anticorrupção #DiaInternacionalContraCorrupção #Corrupção #CGU #SecretariaDeTransparênciaPrevençãoDaCorrupção #EscolaCidadã #Itabira #NovaPonte #ColégioComercialItabirano #Rio Parnaíba #EscolaEstadualDrAdironGonçalvesBoaventura #EscolaMunicipalProfessorRosemirCarlosDeMedeirosRamos

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.