Randon define R$ 100 mi para suas usinas fotovoltaicas

  • por | publicado: 29/06/2022 - 12:05 | atualizado: 01/07/2022 - 12:01

Usina fotovoltaica da unidade Fras-le, na China (foto), entra em operação na sexta (01/07) - Foto enviada com crédito: Divulgação Fras-le.

O Grupo Randon, de Caxias do Sul (RS), líder nacional em implementos rodoviários, definiu em R$ 100 milhões os investimentos em projetos de geração de energia com fontes renováveis. O foco, entretanto, está em usinas fotovoltaicas – captação de energia solar.

Os investimentos, porém, serão de longo prazo. Até 2030. A Randon pretende, então, nesse período, ter geração própria no “abastecimento das suas unidades industriais no Brasil e no exterior”. Essa meta está em nota no portal do grupo, de segunda (27/06).

A definição de valores surge, portanto, duas semanas após o grupo anunciar a nova atividade. A liderança do projeto será da Fras-le S.A. A companhia subsidiária é “líder global em e materiais de fricção e componentes para freios” (do institucional).

Está gostando de ler? Compartilhe!..

Fábrica da China sai na frente

O primeiro projeto fotovoltaico da Randon no Brasil será concluído até dezembro. Essa usina solar ficará no Centro Tecnológico Randon (CTR), em Farroupilha (RS).

Na China, porém, a unidade Fras-le concluiu instalação do sistema solar. A operação comercial (consumo próprio) será a partir de sexta (1º de julho), informou ao ALÉM DO FATO, nesta quarta (29/06), a assessoria da empresa.

Os investimentos no Centro serão de R$ 7,2 milhões, avaliou o presidente da Fras-Le e do Conselho de Administração da holding Randon Implementos e Participações S.A., Daniel Randon.

As empresas contabilizarão, portanto, suas usinas em relatórios das iniciativas globais ESG (sigla em inglês para Environmental, Social and Corporate Governance – ambiente, social e governança corporativa).

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments