Gilson Lemes é eleito presidente do Judiciário mineiro ao próximo biênio

  • por | publicado: 16/04/2020 - 16:38 | atualizado: 17/04/2020 - 00:23

O eleito Gilson Lemes (à esquerda) ao lado do presidente da Amagis, desembargador Alberto Diniz, foto Geórgia Baçvaroff/AMAGIS

Numa disputa polarizada, o desembargador Gilson Soares Lemes venceu o desembargador Andre Leite Praça e foi eleito presidente do Tribunal de Justiça de Minas (TJMG). Ele obteve 81 votos contra 51. O escolhido tomará posse no dia 1º de julho deste ano, com mandato de dois anos. O Orçamento do Judiciário mineiro para este ano é de R$ 7,9 bilhões.

A votação aconteceu na tarde desta quinta (16), reunindo, presencialmente, 134 dos 140 desembargadores. O cargo de presidente, hoje, é ocupado pelo desembargador Nelson Missias de Morais. Seu mandato se encerra em junho próximo.

Gilson Lemes (primeiro à esquerda) venceu Andre Leite Praça, fotos de Erick Bezerra e Divulgação/TJMG

Eleitos são aliados de Nelson Missias

A disputa refletiu a divisão e polarização internas entre dois grupos internos. O do atual presidente apoiou Gilson Lemes, e o do ex-presidente Pedro Bitencourt, apoiou o concorrente Leite Praça. Numa demonstração de força política de Nelson Missias na magistratura mineira, todos os eleitos são de seu grupo. “Ele fez barba, cabelo e bigode”, observou um desembargador.

Nelson Missias foi o grande vitorioso na eleição de seu sucessor, foto Cecília Pedersoli/TJMG

Ainda na votação, foram eleitos os 1º, 2º e 3º vice-presidentes e o futuro corregedor-geral, totalizando seis cargos em disputa. O 1º vice-presidente eleito foi o desembargador José Flávio de Almeida, com 56 votos; o 2º vice, o desembargador Tiago Pinto, com 76 votos. Como 3º vice, o desembargador Newton Teixeira teve 82 votos em segunda votação. Para corregedor-geral foi eleito, em 2º escrutínio, o desembargador Agostinho Azevedo, com 75 votos. O desembargador Edson Feital conquistou o cargo de vice-corregedor, com 69 votos.

Após a divulgação do resultado, o desembargador eleito como futuro presidente, Gilson Soares Lemes, comemorou a vitória de forma comedida, evitando contatos físicos. “Na verdade, a eleição é a prova do reconhecimento dos desembargadores da boa gestão Nelson Missias, que obteve várias conquistas, como dar a juízes e desembargadores melhores condições de trabalho, construção de novos prédios e avanços tecnológicos, além de melhorar o relacionamento com outros poderes”, observou Gilson Lemes. “Nossos pares reconheceram a boa administração Nelson Missias, da qual fiz parte como superintendente administrativo, e nos reelegeram para darmos continuidade a esta obra”, disse.

O presidente do TJMG, Nelson Missias, determinou que as regras da votação seguissem um parecer da junta médica. ““Em razão da pandemia da covid-19 foram determinadas medidas de preservação da saúde dos membros do Tribunal e dos servidores, tudo de acordo com orientações técnicas e científicas”. A orientação fez parte de documento destinado a todos os desembargadores aptos a votar.

Disputa polarizada nas eleições para o comando do Judiciário mineiro

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
1 4
Views:
607
Categorias:
Judiciário