Comissão de Segurança da Assembleia aprova moção de repúdio contra Glenn Greenwald, da VazaJato

  • por | publicado: 17/07/2019 - 16:45
O jornalista Glenn Greenwald, do The Intercept, reagiu às declarações do presidente e disse que Brasil não vive ditadura- Senado Federal/Divulgação

O jornalista Glenn Greenwald, do The Intercept, acabou sendo o centro das atenções hoje à tarde na Assembleia Legislativa. Foto - Senado Federal/Divulgação

O jornalista norte-americano Glenn Greenwald foi o centro das atenções hoje à tarde na ária da Assembleia Legislativa. A Comissão de Segurança da Casa aprovou uma moção de repúdio contra o jornalista. Ontem, a Comissão de Direitos Humanos havia aprovado um voto de congratulações a Glenn.

No plenário, os deputados Bartô (Novo) e Coronel Sandro (PSL), defensores da Lava Jato, entraram com um requerimento solicitando que fosse derrubada a homenagem a Glenn aprovada na Comissão de Direitos Humanos.

Os autores do requerimento querem que o Plenário avalize ou não a homenagem, o que só será decidido a partir de agosto. Amanhã a Assembleia entra em recesso.

Um dos fundadores do site The Intercept Brasil, n Glenn é responsável pela divulgação de mensagens privadas entre o ministro da Justiça, Sergio Moro, quando era juiz federal, e membros da Operação Lava Jato, em especial do seu coordenador, o promotor Deltan Dallagnol.

As mensagens expõem o esforço da força-tarefa em condenar políticos, especialmente o ex-presidente petista Lula da Silva.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments