Coronavírus atende recomendação de Zema, viaja pelo estado e sinaliza caos

Governador Romeu Zema admite possibilidade de lockdown em algumas regiões do Estado.

Governador Romeu Zema admite possibilidade de lockdown em algumas regiões do Estado.

O governador Romeu Zema (Novo) recomendou, no dia 9 de abril, numa de suas redes sociais, que era preciso que o coronavírus, o causador da Covid-19, viajasse um pouco pelo Estado. Pois ao que parece, o vírus decidiu acatar a recomendação do governador e está se espalhando pelos quatro cantos de Minas.

O complicado é que Minas, como de resto o mundo, não se preparou para enfrentar o inimigo invisível. E agora o governador fala em chances de 90% de que em algumas regiões seja decretado o lockdown, a medida mais radical imposta por governos para obrigar as pessoas a cumprirem o isolamento social.

O conselho de Zema para que o vírus “batesse pernas” por Minas foi, na época, classificado pelo infectologista Unaí Tupinambá, membro do Comitê de Enfrentamento do Coronavírus da UFMG, como “irresponsável e criminoso”.

“Ele [o governador] tem que ser condenado e responsabilizado por essa fala, de que o vírus tem que viajar. Nesse momento em que o mundo inteiro está fazendo um esforço para conter essa epidemia, o vírus não pode viajar, ele tem que ficar quieto. Nós temos que eliminar esse vírus o mais rápido possível”, afirmou o professor em vídeo no dia 11 de abril.

Passaram-se mais de dois meses da fala de Zema e não parece ter sido tempo suficiente para que o governo se preparasse para o pior que, ao que tudo indica, ainda está por vir. O próprio governo admite que o pico da pandemia vai ocorrer em meados de julho e hoje mais de 90% das UTIs do Estado estão ocupadas. Há o sério risco de que o sistema de saúde entre em colapso e que não haja leitos para acomodar todos os doentes com Covid-19.

Aliado do presidente Bolsonaro, que até hoje parece acreditar que a Covid não passa de uma gripezinha, o governador, em dado momento, considerou desnecessárias algumas medidas mais restritivas impostos pelos prefeitos, sob o argumento de que não tinha sentido, por exemplo, o comércio fechar em cidades onde não havia sido registrada nenhuma infecção pelo novo vírus.

A decisão de Bolsonaro de encarar o coronavírus como uma gripezinha, entretanto, já resultou em mais de 50 mil vidas perdidas, o que coloca o Brasil na vergonhosa posição de segundo país do mundo em número de mortes pela Covid-19, atrás apenas dos Estados Unidos, onde já morreram mais de 100 mil pessoas.

No dia 11 de abril, no seu desabafo em vídeo, o professor Unai fez um apelo ao povo de Minas, que continua valendo: “Conclamo a população de Minas Gerais a seguir essas orientações (ficar em casa, lavar as mãos e usar máscara) e não seguir a cabeça de políticos. Nessa hora, eles têm nos atrapalhado bastante”.

Relacionadas

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.