Ao custo de R$ 64,8 mil, cidade de Dionísio elege prefeito no domingo

6.949 eleitores de Dionísio voltam às urnas no domingo, foto site da Prefeitura municipal

No próximo domingo, quase sete mil eleitores voltam às urnas no município de Dionísio (Vale do Aço) para escolher o novo prefeito e vice. mandato de pouco mais de um ano. Até dezembro do ano que vem. O mandato dos eleitos será de pouco mais de um ano, até dezembro do ano que vem. E o custo da eleição temporã será de R$ 64,825,21.

Desde 2016, quando foram escolhidos os atuais prefeitos, foi realizada, em média, 1,5 eleição por mês. Com isso, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MG) já gastou, até agora, R$ 1,050 milhão com as eleições suplementares em 28 municípios. Os gastos vão desde alimentação de mesários, transporte de urna e hora extra de servidor.

As mais caras foram as de Ipatinga (Vale do Aço), com custo de R$ 193,7 mil, e a de Santa Luzia (Grande BH), de R$ 138,6 mil.

Crime eleitoral é a principal razão

As razões de novas eleições são quase sempre as mesmas: cassações por algum tipo de irregularidade, o que impõe nova escolha. Em resumo, são condenados por crimes eleitorais e indeferimento de candidaturas.

Em Dionísio, a chapa eleita em 2016 foi cassada pelo TRE-MG por conta da prática de conduta vedada em período eleitoral e abuso de poder político.

Então, foram cassados o prefeito Farias Menezes de Oliveira (PSL) e o vice-prefeito Emídio Braga Bicalho (PP). O que fizeram de errado? Às vésperas das eleições municipais de 2016, Frederico Coura Ferreira (então prefeito) e Emídio Braga (vice-prefeito reeleito) fizeram doações de lotes à população carente. A prática eleitoreira expôs o abuso de poder econômico e político em prol das candidaturas eleitas.

Três partidos disputam a eleição

Para a eleição de domingo, concorrem três partidos isolados. Pelo Partido Liberal, Ailton Artuzo e Antônio de Oliveira, são os candidatos a prefeito e vice, respectivamente. Pelo Avante, Hermes Freitas da Costa, para prefeito, e Aparecida Pena Martins de Andrade, para vice. Pelo MDB, disputam Francisco Castro Souza Filho, para prefeito, e Marciny Martins Pereira, como vice. Os eleitos serão diplomados até o dia 20 de setembro.

Outras eleições suplementares

Veja a relação dos outros 27 municípios que fizeram novas eleições para escolher prefeitos e vices. Em 2017: Alvorada de Minas, Ervália, São Bento Abade, Guaraciama, Cristiano Otoni. E mais: Canaã, Campo Florido, Santa Rita de Minas. Ibiracatu, Jordânia, Santana da Vargem, Antônio Dias e Conceição do Rio Verde.

Em 2018, Campo Azul, Ibituruna e Santa Cruz; Guanhães, Ipatinga, Pocrane, Itanhomi, Santa Luzia e Timóteo. Já em 2019, Juatuba, Aguanil, Elói Mendes e Nova Porteirinha e Itabirito.

TREs reprovam unificação de eleição

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments