Oposição se antecipa a Zema e defende rejeição ao RRF em Brasília

  • por | publicado: 01/03/2023 - 06:54 | atualizado: 06/03/2023 - 12:01

Deputados mineiros e o ministro Padilha, foto twitter da deputada Bella Gonçalves

Enquanto Romeu Zema (Novo) vacila entre ser pré-candidato a presidente ou governador, a oposição a ele foi a Brasília pedir ao governo Lula (PT) rejeição aos principais projetos de gestão dele. Deputados estaduais do PT e aliados se reuniram, na segunda (27) com ministros do governo Lula para criticar o projeto de adesão de Minas ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF). (Veja vídeo abaixo)

E mais, reprovaram as privatizações do Metrô de Belo Horizonte e das Centrais de Abastecimento de Minas Gerais (CeasaMinas). O ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, teria se comprometido a aconselhar Lula a não aceitar o acordo. Segundo os deputados, o ministro seria contra a privatização de bens públicos e o enfraquecimento de políticas públicas como soluções para os rombos fiscais de Minas.

Governador não faz interlocução

Ao contrário deles, Zema até hoje, desde a posse, não procurou o governo federal nem enviou emissário para defender sua proposta. Em vez disso, sempre que pode faz ataques ao governo petista e até chegou a insinuar que ele teria se beneficiado e sido conivente com os ataques antidemocráticos de 8 de janeiro. Somente no dia 18 passado, nomeou o ex-deputado federal Marcelo Aro (PP), derrotado nas últimas eleições, como assessor especial para representar o governo mineiro em Brasília.

Ainda no encontro com os deputados de oposição, Padilha disse aos deputados que o governo federal ainda vai estudar a proposta. Fernando Haddad (Fazenda) e Paulo Teixeira (Desenvolvimento Agrário) também se encontraram com os parlamentares. Veja aqui manifestação do ministro Padilha em rede social.

Fazenda faz estudo

O pedido da oposição é que a União não autorize a recuperação fiscal nos moldes defendidos por Zema, o que teria sido promessa de Padilha. “O (Fernando) Haddad (ministro da Fazenda) pediu para fazer um estudo sobre essa questão do Regime de Recuperação Fiscal proposto pelo governo (de Minas). Ele disse que, pelos andamentos da transição, não teria condição de manifestar, porque estaria ainda tomando informação sobre o arcabouço da proposta do governo do estado. Mas, ele pediu ao seu secretário imediato para fazer um estudo (o quanto antes)”, diz o deputado estadual Celinho Sintrocel (PCdoB).

A deputada estadual Beatriz Cerqueira (PT) confirmou a posição. “O Alexandre Padilha foi muito taxativo nessa questão. O governo federal não aceitará uma recuperação fiscal que desmonte políticas públicas e prejudique a carreira dos servidores. Ele nos garantiu isso durante a reunião”, afirmou.

A deputada Bella Gonçalves (PSOL) reforçou a manifestação, dizendo que o ministro Padilha teria dito que não há qualquer possibilidade de o regime de recuperação fiscal de Minas ser assinado da forma como ele está. Por meio de sua assessoria, o governo mineiro não quis se manifestar sobre o assunto.

O que é o RRF

A adesão ao RRF é a única proposta de Zema para sanear as contas públicas pela qual pretende renegociar o pagamento da dívida do Estado junto à União no valor total de mais de R$ 140 bilhões. A quitação do serviço da dívida que o Estado não paga há mais de quatros anos é de R$ 400 milhões por mês. Com a RRF, o governo mineiro ficaria nove anos sem pagar a parcela, mas, em contrapartida, teria que privatizar empresas estatais e congelar benefícios do funcionalismo.

Assista ao vídeo da oposição sobre o encontro em Brasília

Deputados Ulisses Gomes e Rogério Correia e deputadas Leninha e Beatriz Cerqueira

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments