Popularidade de Moro desagrada Bolsonaro e seu ministério corre risco de ser esvaziado

Ministro Sérgio Moro tem aprovação muito acima do presidente Bolsonaro, conforme pesquisa do instituto Datolha. Foto - Agência Brasil

Ministro Sérgio Moro tem aprovação muito acima do presidente Bolsonaro, conforme pesquisa do instituto Datolha. Foto - Agência Brasil

A popularidade que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, vem demonstrando nas pesquisas está incomodando e, ao que tudo indica, vai provocar um esvaziamento do seu ministério. Em Brasília, é dado como praticamente certo que a segurança pública, inclusive a Polícia Federal, sairá do guarda-chuva da Justiça e ganhará status de ministério. 

Moro é pré-candidato à presidência da República e passa a ser um adversário de peso para o presidente Bolsonaro em 2022, em especial junto ao eleitorado de perfil mais à direita. O ministro tem dito que não é candidato e é apontado como um provável vice na chapa de Bolsonaro nas próximas eleições.

Os moristas avaliam, entretanto, que o cargo de vice não empolga Moro e afirmam que a musculatura que ele vem exibindo lhe garante cacife para ser cabeça de chapa.

Mais confiável que Bolsonaro

Pesquisa que acaba de ser publicada pelo Datafolha mostra que o nível de confiança da população no ministro Sérgio Moro é de 33%, 11 pontos percentuais à frente do presidente Jair Bolsonaro. O mesmo instituto já havia mostrado, em dezembro, que a atuação de Moro é avaliada como ótima/boa por 53% dos brasileiros, contra 30% de Bolsonaro, uma diferença de 23 pontos percentuais.

Para ampliar ainda mais o seu capital político, Moro vem tentando capitalizar os números de redução da criminalidade exibidos pelo governo em 2019 – como, por exemplo, a queda no número de homicídios da ordem de 22%. Mesmo que esse desempenho, segundo especialistas, seja consequência das medidas adotadas pelo ex-presidente Michel Temer. 

Na sua conta no Twitter (abaixo), Moro afirma, de forma irônica, e em resposta aos especialistas, que a queda no índice de criminalidade pode ser atribuída até mesmo ao Mago Merlin. O importante é que continuem caindo, diz ele.

A desenvoltura do ministro, porém, já começa a incomodar bolsonaristas e, ao que parece, até mesmo Bolsonaro. Melhor, portanto, é cortar logo um pouco suas asas. E retirar a segurança pública de Moro, uma de suas principais bandeiras, é parte dessa estratégia.

Relacionada

Moro termina primeiro ano de governo como principal adversário de Bolsonaro

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments