Calvário da Boeing com o 737 Max

  • por | publicado: 06/01/2024 - 22:53

Modelo da Boeing da frota da Alaska Airlines perdeu parte da fuselagem em pleno voo. Imagem ilustrativa de Boeing 737 Max 9 em hangar da Alaska, no Aeroporto Internacional de Anchorage, no Alasca (EUA). Crédito: Reprodução de Vídeo Institucional/YouTube

Os engenheiros e executivos da Boeing Company Inc. perdem sono não é apenas com parafuso solto do leme do 737 Max. Esse problema foi comunicado dia 28/12 pela companhia, após relato de uma empresa que o opera o modelo de aeronave. Mas sem incidentes.

Em 2018 e 2019, tragédias resultaram na paralisação da linha de montagem do 737 Max pela fabricante dos Estados Unidos.

Neste sábado (06/01), uma notícia mais grave que o caso do parafuso. Parte da fuselagem de 737 Max 9 se soltou em pleno voo da Alaska Airlines. O buraco que se abriu parecia uma “porta”, definiu noticiário distribuído pela agência Bloomberg e reproduzido no portal de O Globo. O avião transportava 171 passageiros, mas não houve vítimas.

A reação das companhias aéreas chegou em efeito cascata, com suspensão dos modelos nas rotas e inspeção das aeronaves. Além disso, nova investigação foi determinada pela Administração Federal de Aviação (FAA).

A FAA, autoridade dos Estados Unidos na aviação civil, também determinou a suspensão das operações com todos os 737 Max 9 no país.

MATÉRIAS RELACIONADAS:

Parafuso da Boeing, janela da Embraer – dez/2023

Alaska Airlines pede 52 jatos 737 Max; pretende mais 105 – out/2022

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments