Censo: IBGE, como o TSE, confia na tecnologia digital

  • por | publicado: 02/08/2022 - 10:26 | atualizado: 09/08/2022 - 22:48

IBGE se valerá da ferramenta digital para remeter dados de forma remota direto dos domicílios visitados - Crédito: IBGE/Divulgação

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE – Ministério da Economia) iniciou ontem (01/08) o Censo Demográfico de 2022, mas com uma lacuna de 15 mil recenseadores. O Instituto, devido às inúmeras protelações do Governo Bolsonaro, não conseguiu recrutar em tempo hábil e formar o contingente de 183 mil pessoas.

O diretor de Pesquisa, Cimar Azevedo, citado, nesta terça (02/08) pelo jornal Correio Braziliense, entretanto, preferiu minimizar. Mesmo admitindo que o déficit está acima das edições anteriores, argumentou ser “normal” abrir a campanha com buracos.

Cimar, vai ver, não quis desagradar ao presidente Bolsonaro, apontado como principal responsável pelo atraso prolongado no Censo. O levantamento demográfico seria em 2020. Mas, por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) foi, então, adiado como medida sanitária preventiva. O segundo adiamento, entretanto, em 2021, nasceu na ferrenha postura política contrária do chefe do Governo.

Instituto segue tecnologia aplicada no TSE

O diretor adicionou mais um elemento ao baixar a bola da falta de 15 mil recenseadores: suporte da tecnologia da informação e comunicação (TIC). Os dados dos entrevistados serão remetidos por sistema eletrônico remoto, ou seja, diretamente dos domicílios visitados.

O IBGE, portanto, se valerá de mesma base tecnológica em sistemas de contagem e remessa de votos das urnas eletrônicas usadas pelo Superior Tribunal Eleitores (TSE), contestada por Bolsonaro, que tentará a reeleição. Entretanto, como ocorre há anos, foi com sistema digital que o TSE apurou a vitória do próprio presidente, em 2018.

O IBGE pretende coletar dados em 89 milhões de domicílios. Foto ilustrativa: primeiro teste preparatório do Censo Demográfico 2022, na Ilha de Paquetá, no Rio de Janeiro, em novembro 2021 – Crédito: Tânia Rêgo/Agência Brasil.

A segurança da ferramenta da TI foi destacada ontem (01/08) pela própria Agência Brasil, órgão oficial do Governo. “Assim como em 2010, o levantamento deste ano será colhido totalmente de forma digital. Os recenseadores utilizam um dispositivo móvel de coleta (DMC), que é um computador de mão, semelhante a um aparelho celular”. Leia AQUI.

A seleção de candidatos foi prorrogada novamente pelo IBGE, até amanhã (03/08)A divulgação do resultado para o dia 15/08.

Presidente do IBGE faz apelo

Mas, em linha diferente a do diretor, o presidente do IBGE, Eduardo Rio Neto, fez veemente apelo à população para correr atrás do prejuízo. “O Censo não é do IBGE, o Censo é do Brasil e para o Brasil. O Censo é de todos nós. Nossa equipe visitará todos os lares brasileiros, coletando informações que serão muito relevantes para o futuro do país. Não deixaremos ninguém para trás, mas para isso contamos muito com o apoio da cidadã e do cidadão brasileiros. Recebam o IBGE de portas abertas!”.

MATÉRIA RELACIONADA (ARTIGO):

Por que a urna eletrônica é segura

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments