Dinheiro da Covid desviado para Michelle e Damares

  • por | publicado: 1/10/2020 - 10:03 | atualizado: 4/10/2020 - 12:01

Doação da Marfirg, de R$ 7,5 milhões, para testes da Covid-19, desviada para programa de Michellle. Desta, para compras de instituições evangélicas ligadas à ministra Damares - Foto: Marcelo camargo /Agência Brasil

Frigorífico multinacional, a Marfrig Global Foods S.A. (Marfrig) doou R$ 7,5 milhões para Governo Bolsonaro adquirir testes rápidos da Covid-19. Todavia, o dinheiro não foi gasto no âmbito do Ministério da Saúde. Pois, acabou desviado para ações do programa Pátria Voluntária, tocado pela primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

A Marfrig tem ações do capital na B3 (Brasil, Bolsa, Balcão). Encerrou o 2T20 com receita líquida de R$ 18,881 bilhões, portanto, 54% acima do resultado do 2T19. Porém, o lucro líquido, de R$ 1,594 bilhão, deu salto extraordinário: de 1.743%. Marfrig é um dos maiores frigoríficos de carnes do mundo, com operações na América do Sul e Estados Unidos.

A doação foi anunciada em março. Mas, demorou a ser efetiva, pois, motivou rodadas políticas dentro do Governo. É o que relata a manchete do jornal “Folha de S.Paulo”, desta quinta (01/10). O dinheiro seria suficiente, portanto, para comprar 100 mil testes rápidos do novo coronavírus, surgido na Índia, em dezembro de 2019.

Denúncia do desvio da doação de R$ 7,5 milhões, entregue pela Marfrig, foi manchete da Folha, nesta quinta (01/10) – Reprodução: Capa da Folha

De Michelle para Damares

Marfrig, então, depositou em o dinheiro em conta na Fundação Banco Brasil, que administra recursos do Pátria Voluntária. De lá, portanto, para o projeto Arrecadação Solidária (do Pátria). E, deste, por fim, direcionado à “instituições missionárias evangélicas aliadas da ministra Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos)”.

Sem licitação

Os recursos, que seriam para testes rápidos da Covid-19, todavia, financiaram cestas básicas definidas no Ministério da Mulher.

A Folha sublinha que, apesar dos acertos para o desvio da finalidade, houve improbidade administrativa nos gastos. As instituições relacionadas à ministra Damares receberam o dinheiro “sem licitação pública”.

Marfrig bancou 70%

O dinheiro da Marfrig representa, portanto, ao redor de 70% de tudo que o programa de Michelle Bolsonaro arrecadou até o presente.

Veja reportagem completa:

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments