Gafisa segue com negócios atípicos na B3

  • por | publicado: 23/11/2023 - 13:13

Gafisa vive longo calendário de cobrança de explicações pela Bolsa de Valores - Crédito: Reprodução/YouTube

Companhia com tradição no mercado construção civil residencial de alto padrão em São Paulo (SP) e Rio de Janeiro (RJ), a Gafisa S.A. segue firme no portfólio das notificações da Bolsa de Valores B3 (Brasil. Bolsa. Balcão). Os motivos são repetitivos e geradores de multas pela Bolsa. Entre infrações mais comuns, por exemplo, aparecem:

– não observância do calendário de atualizações;

– demonstrações financeiras e comunicados não traduzidos para o inglês;

– atrasos nas apresentações das demonstrações e envio dos calendários anuais;

– ausência de comunicados de fatos relevantes.

Nos últimos meses, entretanto, chamou atenção a dança de ações da Gafisa na carteira do acionista Pedro Cardoso Novelino. Em 24/10, por exemplo, estava com 6,5% das ações do capital. Saltou para 10,6%, em 14/11, e, ontem (23/11), baixou para 9,17%.

Gafisa teve alta de 30% num só dia; B3 cobrou comunicado

Em 26/10, a B3 notificou a Gafisa, exibindo quadro de “negociação atípica com valores mobiliários” com ações. E cobrou explicações para a ausência de comunicado ao mercado. Em pregões no período de 11/10 e 25/10, as cotações dos papéis da companhia oscilaram em índices quedas e altas pouco comuns nas cotações. Essa gangorra, portanto, acendeu a luz amarela para o mercado.

Em 19/10, por exemplo, após cinco pregões consecutivos de baixas, as ações da Gafisa fecharam com alta de 29,86%, com negócios de R$ 60,2 milhões. Após isso, intercalou pregões com quedas e altas.

Mas, no pregão de 25/10, até às 14h15, as ações registravam alta de 21,39% e volume de R$ 40,08 milhões. A B3 pediu explicações. A empresa, entretanto, negou conhecer “qualquer ato ou fato relevante não divulgado que possa justificar as oscilações atípicas da cotação das ações de sua emissão, nem tampouco o número de negócios e a quantidade negociada, conforme apontado no Ofício”.

O principal acionista individual na Gafisa é a MAM Asset Management Gestora de Recursos Ltda, com 19,46% das ações. É portanto, o elo com o investidor com histórico polêmico Nelson Tanure.

Prejuízo pulou 168% no final de setembro

No 9M23, conforme comunicado à B3, a Gafisa registrou realizou vendas de R$ 863 milhões, com alta de 6,5% sobre 9M22. Nas demonstrações (“prévia” e com valores não auditados), entretanto, o valor apresentado é de R$ 823 milhões, como venda bruta.

A companhia continuou, entretanto, operando no vermelho. O prejuízo líquido (consolidado) do 3T23 avançou 168% frente 9M22, para R$ 213,6 milhões.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments