Lição da FCA dentro das conturbadas políticas de Trump

CEO da FCA informou que a empresa teve resultados recordes no 3T19, "graças" ao mercado da América do Norte - Foto: FCA Divulgação

Apesar das polêmicas políticas do presidente Donald Trump, que paga preço alto nestas eleições, e da pandemia da Covid-19, a economia norte-americana tem ilhas de desempenho. Entre estas, está a Fiat Chrysler Automobiles (FCA). Mesmo com a queda de 6% na receita líquida, a companhia registrou lucro liquido de € 1,2 bilhão no 3T20. Portanto, reverteu o prejuízo líquido, de € 179 milhões, no 3T19. Este resultado celebrou, então, evolução de 773%, conforme relatou a companhia no final de outubro.

A performance global das contas da FCA foi turbinada pelas vendas dentro da América do Norte. Isso a despeito também do tremendo desmonte administrativo de Trump nas políticas herdadas de Barack Obama. Todavia, as receitas líquidas permaneceram em patamar elevado – € 25,814 bilhões.

O lucro líquido ajustado (*) da FCA cresceu 21%, para € 1,53 bilhão. Além disso, a geração de caixa (EBITDA), de € 2,276 bilhões, evoluiu 16% e margem de 8,8%.

No comunicado ao mercado, a FCA destacou que, apesar dos efeitos da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), as vendas globais cresceram 3%. Permaneceram, então, acima de 1 milhão de unidades.

O CEO da FCA, Mike Manley, foi claro na análise de mercado. “Os resultados recordes foram impulsionados pelo desempenho fenomenal da nossa equipe na América do Norte. Durante o trimestre, com diversas marcas, apresentamos produtos em segmentos em que não estávamos presentes, abrimos um novo caminho na história da marca Maserati ”, destacou. Contudo, não deixou pontuar a presença na América Latina, onde o grupo continua líder de mercado.

FCA foca nos elétricos…

“… E continuamos a acelerada trajetória global de investimentos em eletrificação (carros elétricos)”, completou o CEO da FCA.

… e fusão com Peugeot

Mike Manley dedicou, entre outros, destaque à futura fusão da FCA (bem calçada na marca Fiat) com a francesa Peugeot (PSA). Dessa união, surgirá, portanto, a Stellantis – marca holding. O prazo previsto nas negociações é março de 2021. “… com a fusão, que, em breve, resultará no nascimento da Stellantis, estaremos mais fortes e focados no objetivo de criar valor significativo para todos os nossos stakeholders”, previu.

MATÉRIA RELACIONADA:

(*) Há variedade de definições para lucro liquido ajustado. Mas, entre estas, a mais comum adota a sequência:

  • – lucro líquido;
  • menos os valores destinados às reservas legal e de contingência (para imprevistos) do exercício fiscal seguinte;
  • mais a reserva de contingência não gasta no período.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.