Ônibus do Santos foi pro prego; do Corinthians já estava lá

Busão do Santos garante cobrança de documentário - Foto: Divulgação

O glorioso Santos Futebol Clube, do Rei Pelé, está a pé, pois, ônibus do clube foi penhorado. A parada é uma dívida com produção de um documentário. O imbróglio foi pro guichê da Justiça. Teve acordo, porém, o produtor recebeu apenas uma parcela.

A história foi relatada na ontem (02/07) nos portais Terra e Uol.

Fato é que a Vila Belmiro recebeu, nestes dias, a visita do oficial de Justiça. O busão, um Scania, modelo M Polo Parad GVR, ano 2000, avaliado em R$ 90 mil, não pode rodar. O veículo, portanto, garante dívida remanescente de R$ 81 mil.

O imbróglio com o Peixe, tem lances de novela. E envolve o ex-dirigente com sobrenome que sugere mais clima a um capítulo com roteiro apimentado: Orlando Rollo. Houve contestação quanto ao material entregue pela Red Vision. Os portais relatam, mais uma trama: as partes assinam acordo dois adias antes das eleições (12/10/2-2020) de R$ 220 mil e é paga 1ª parcela, de R$ 50 mil. Eleições perdidas por Rollo, e o Santos cessa os pagamentos.

Mas, a atual diretoria contesta na Justiça vários itens no conteúdo do tal documentário. Por exemplo: não precisaria desse documentário, pois os registros dos gols estão disponíveis na internet e que contém imagens de país da Ásia. Além disso, aponta erros de digitação. Por isso, o clube pediu a extinção da ação.

Santos propôs a penhora

Entram na discussão, pelo Peixe, questões como valores do contrato e da multa contratual, de R$ 30 mil. Todavia, o clube ofereceu busão como garantia da ação, enquanto se discute o mérito.

O time da Baixada Santista argumenta não precisar do produto deixado pelo ex-dirigente. Isto porque recebe inúmeras propostas para documentários.

Rollo e a Red Vision, atestam os portais, têm laços na política extracampo.

Coringão com dois busões em encrencas

Bradesco pediu à Justiça apreensão do ônibus do Corinthians – Foto: Divulgação

Corinthians registra histórias com seus busões, análogas ao Santos. E não é de hoje. No começo de junho, foi apreendido o coletivo que transporta o Time Feminino e atletas de outras modalidades do clube. A Justiça, relatou o portal especializado Diário do Transporte, foi acionada por atrasos nas parcelas do financiamento. É um veículo terceirizado, porém, plotado com toda pompa do Timão.

Bradesco pediu apreensão

Então, o oficial de Justiça foi ao Sport Club Corinthians Paulista, no Parque São Jorge, e apresentou o mandado de apreensão. A proprietária, a Leds, está em débito com o Bradesco, repassador do financiamento do BNDES.

O Coringão, antes da despedida, retirou seus adesivos. A empresa alega que a recessão da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) abalou suas finanças, assim como de outras empresas.

Mosqueteiro II entrou como garantia em reclamação trabalhista em 2001 – Foto: Redes Sociais

Detran não liberou o lendário Mosqueteiro II

Mas problemas do Timão com seus busões não param aí. O emblemático Mosqueteiro II continua bloqueado pelo Detran-SP, por reclamação trabalhista do ex-jogador e técnico Adilson Batista.

A briga começou, em 2001, com valor histórico de R$ 476 mil. O veículo (Nielson Diplomata 2.60 – Mercedes Benz O-355 fabricado em 1978) foi, então, penhorado. Mas, no começo do mês passado, um acordo de R$ 5 milhões encerrou ação. Entretanto, o Detran mantém o bloqueio do veículo do alvinegro da capital paulistana. Leia mais AQUI.

Ônibus mais caro do mundo!

Além da demora do Detran-SP, o valor do acordo celebrado pelo Corinthians rende piadas na rede Facebook. Por exemplo: ônibus mais caro do planeta, R$ 5 milhões.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
JOSÉ DONIZETE MACHADO

O que esses clubes fazem com tanto dinheiro? Queimam? Ou roubam?