Petrobras corta R$ 400 milhões destinados à P,D&I

  • por | publicado: 17/04/2020 - 23:58 | atualizado: 18/04/2020 - 03:33

Imagem de um braço robótico (inteligência artificial) que ilustrou o lançamento pela Petrobras, em julho de 2019, do Edital de R$ 10 milhões para P,D&I. Foi direcionado às startups e pequenas empresas inovadores. Sebrae participou do programa – Foto: Getty Imagens/Redes Sociais

Como uma das medidas de restrição nas despesas, dentro do cenário da pandemia do novo coronavírus (Covid-19), a Petrobras decidiu contingenciar R$ 400 milhões destinados à área de pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica (P,D&I). O corte foi revelado nesta sexta (17/04) pelo Conselho Nacional das Fundações de Ensino Superior e de Pesquisa Científica e Tecnológica (Confies). A instituição tratou a medida como “desmonte de equipes de pesquisa” pela Estatal, escreveu o “Valor”.

Os primeiros impactos serão sobre custeios de projetos e salários (bolsas) dos pesquisadores. O Confies congrega 94 fundações. Estas, por sua vez, respondem pela gestão de projetos em 140 instituições.

Decisão da Petrobras na ANP

De acordo com o jornal, a reação do presidente do Confies, Fernando Peregrino, foi de que a decisão da estatal vai “sacrificar o presente e o futuro da empresa, além da economia brasileira, porque desmontará equipes inteiras de pesquisas em mais de 40 centros e universidades”. A medida ganhou noticiário em mesmo dia da publicação, no Diário Oficial da União (DOU) do futuro presidente do CNPq, o atual presidente da Fapemig, Evaldo Ferreira Vilela.

Ranking de Competitividade Industrial para Países Selecionados 1990–2015

A Petrobras oficiou sua postrua ao Confies no dia 2. A estatal ressaltou que suspendia os contratos por 90 dias e que, ao final, todos os contratos seriam “reformulados”. O Conselho recorreu à Agência Nacional de Petróleo e Gás Natural (ANP) que intervenha na situação.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.