Chances de João Vitor, Áurea ou Paiva ir ao 2º turno contra Kalil

João Vitor, Áurea Carolina, Rodrigo Paiva e Nilmário Miranda, fotos Luiz Santana/ALMG, Vinicius Loures/Câmara, Facebook de Paiva e Cobertura Utópica/site PTMG

A campanha eleitoral entra nesta sexta (9) pela tv e rádio, abrindo eventuais oportunidades de mudanças no quadro ainda inercial da disputa em Belo Horizonte. Em tempos de pandemia, desaconselhando corpo a corpo e aglomerações, uma campanha de tv e rádio, bem articulada com as redes sociais, pode fazer a diferença. Essa é a única forma de alcançar um eleitorado do tamanho da capital mineira, de quase 2 milhões de votantes.

As estratégias já estão definidas. A do prefeito Alexandre Kalil (PSD), que busca a reeleição, na propaganda gratuita eleitoral, é vencer a parada ainda no 1º turno. A de seus adversários, é de levar a disputa para o segundo turno.

Conservador ajuda um e afeta outra

Desses, João Vitor (Cidadania) tem mais chances de crescer por conta do amplo apoio partidário que lhe deu o maior tempo de televisão. Em relação à Áurea Carolina (PSOL), tem mais espaço de crescimento pelo discurso conservador que ainda dará as caras na eleição. Menos conhecida do que ele, Áurea é, por outro lado, muito conhecida de quem vota nela, a esquerda. Quem não a conhece também não votará nela. São aqueles eleitores de perfil de centro, centro-direita e direita.

O candidato do Partido Novo, Rodrigo Paiva, pouco conhecido, deverá sofrer desgastes pela alta rejeição do governador Romeu Zema, do mesmo partido. A reação será incentivada pelo funcionalismo público estadual, diante da antipatia entre ambos. Se se expor muito, Zema poderá atrair para si o insucesso de seu candidato.

PT está rachado

Da mesma forma, o presidente Bolsonaro (sem partido) disse que apoiará Bruno Engler (PRTB). Reconheceu, porém, o favoritismo de Kalil, razão pela qual admitiu que não irá além da conta.

O PT de Nilmário Miranda está rachado. Segundo enquete interna feita pelo próprio partido, os que se dizem petistas disseram que votarão no atual prefeito. Essa posição explicaria o baixo desempenho do petista na disputa. O PSDB sofre da mesma fadiga de material e sua candidata, Luiza Barreto, disse não conhecer Aécio Neves. O tucano foi presidente do partido dela, ex-candidato presidencial, ex-governador por dois mandatos e ex-senador por oito anos.

LEIA MAIS: Eleição em BH abre com o mantra ‘todos contra Kalil’ para barrar reeleição

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments