Diretores do Vox Populi se contradizem no caso Pimentel

Interrogatório da ação penal aconteceu no Fórum Lafayette, foto Robert Leal /TJMG

Ainda na denúncia, uma das empresas do conglomerado JHSF teria repassado as quantias de R$ 351.250,00, R$302.500,00 e R$ 351.250,00, respectivamente à Vox Opinião Pesquisa e projetos Ltda., para despesas da campanha eleitoral (sondagens eleitorais) de Pimentel ao governo mineiro.

Outros dois réus dessa ação, os empresários Marcos Coimbra e Márcio Hiram, do instituto Vox Populi, foram contraditórios em seus depoimentos nesta terça (30), no Fórum Lafayette, em BH.

Enquanto o primeiro disse que prestou os serviços, sem contratos, para a campanha eleitoral da candidatura a governador de Pimentel, em 2014, o segundo afirmou que o instituto tinha contrato com a empresa que repassou o dinheiro.

Diligências

Encerrado o interrogatório, as partes irão avaliar se pedem diligências antes dos prazos para as alegações finais, da defesa e da acusação, e sentença final.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

Likes:
2 1
Views:
901
Categorias:
Política

All Comments