Maioria de BH que aprova Bolsonaro é homem, rico, branco, evangélico e de direita

  • por | publicado: 9/12/2019 - 18:36 | atualizado: 10/12/2019 - 14:06

Bolsonaro cumprimenta oficiais generais no Clube Naval de Brasília, foto Antônio Cruz/ABR

Esse é o perfil dos eleitores belo-horizontinos que aprovam o governo Bolsonaro: homem, rico, branco, evangélico e de direita. Os dados são da pesquisa CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas) após ouvir 1007 moradores da capital mineira, de 18 a 75 anos, dos dias 2 a 6 de novembro. O instituto contratado é Quaest Consultoria e Pesquisa.

Na avaliação geral, a avaliação positiva do presidente cresceu 4 pontos percentuais de setembro a novembro, passando de 29% para 33%. Já a avaliação negativa caiu de 41% para 38% no mesmo período. Os que o consideram regular foram de 29% a 27%; só 2% não souberam responder.

“A avaliação do governo de Bolsonaro acompanhou diretamente as melhorias nos indicadores econômicos registrados nos últimos meses. Na análise sobre o presidente se mantém cenário polarizado, com aumento da avaliação positiva”, disse Felipe Nunes, coordenador da pesquisa.

50% dos mais ricos estão satisfeitos

De acordo com a pesquisa, no quesito renda, dos eleitores com até 3 salários mínimos (SM), 24% aprovam Bolsonaro; 45% reprovam. Outros 28% o consideram regular e 3% não souberam dizer. Entre os que recebem mais de 10 SM, 50% aprovam; 22% reprovam e 26% acham regular; 2% não opinaram. Por sexo, 50% entre os homens aprovam; outros 45% reprovam; o restante não soube dizer. Entre as mulheres, 37% aprovam; 56% reprovam e 7% não souberam dizer. (Veja os gráficos abaixo)

Avaliação de Bolsonaro por renda (Quaest Consultoria e Pesquisa)

No quesito cor/raça, 49% dos brancos são a favor; 43% rejeitam e 7% não souberam. Entre os pretos, 38% aprovam; 60% reprovam e 2% não opinaram. Para os pardos, 39% aprovam; 54% disseram não e 7% não responderam. Por idade, de 19 a 29 anos, 38% aprovam; 54% não aprovam e 8% nada disseram. Entre os 60 a 75 anos, 51% aprovam; 43% reprovam e 6% não souberam.

Avaliação por religião

Evangélicos são 41% os quem aprovam

No campo religião, 31% dos católicos aprovam o governo; 39% reprovam; outros 29% o consideram regular e 1% não soube. Entre os evangélicos, a aprovação vai a 41%; a reprovação é de 32% e 25% o avaliam como regular; 2% não souberam. No posicionamento político, entre os que se dizem de direita, 60% aprovam; 10% reprovam e 30% acham regular. Os que se identificam com o centro, 27% aprovam; 41% reprovam, 29% acham regular e 3% não souberam. Entre os que se dizem esquerdistas, 9% aprovam; 70% reprovam; 19% avaliam como regular e 2% não souberam.

Avaliação por cor/raça (Quaest Consultoria e Pesquisa)

Moro termina primeiro ano de governo como principal adversário de Bolsonaro

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.