Prestes a ser julgado no CNMP, Deltan Dallagnol se cala sobre decisão do STF

Procurador Deltan Dallagnol pode ser julgado na próxima ter-feira pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) por críticas a ministros do STF. Foto - Agência Brasil

Procurador Deltan Dallagnol pode ser julgado na próxima ter-feira pelo Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) por críticas a ministros do STF. Foto - Agência Brasil

Crítico das decisões do Supremo Tribunal Federal (STF) que contrariam a Lava Jato, o chefe da operação, Deltan Dallagnol, nada falou sobre a decisão da Corte Suprema, tomada ontem, de proibir a execução da pena após condenação em segunda instância.

A cautela tem uma explicação: na próxima terça-feira, dia 12, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) poderá colocar na pauta pedido de punição ao procurador, feita pelo presidente do STF, Dias Toffoli. Em entrevista que concedeu à rádio CBN, Deltan disse que decisões tomadas pelos ministros Toffoli, Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski passam a mensagem de leniência com a corrupção.

“Os três mesmos [ministros] de sempre do STF que tiram tudo de Curitiba e que mandam tudo para a Justiça Eleitoral, e que dão sempre os habeas corpus, que estão sempre formando uma panelinha, assim mandam uma mensagem muito forte de leniência a favor da corrupção”, afirmou o procurador na entrevista.

De acordo com informações da colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, integrantes do CNMP avaliam que o procurador pode ser condenado por 8 votos a 3. O destino de Dallagnol está nas mãos do procurador-geral Augusto Aras, que tem o poder de decidir o que entrará na pauta da reunião.

Entre as punições que Dallagnol pode receber estão: advertência, censura, suspensão e até demissão.

“Salva ladrões”

Nas redes sociais, entretanto, onde o procurador é muito atuante, o assunto não passou batido. Apesar de não ter comentado a decisão do STF, ele reproduziu tweet feito pelo procurador Roberto Pozzobon, também da Lava Jato, em que ele compara a decisão da Suprema Corte ao decreto “Salva Ladrões”, na Itália, que libertou os criminosos presos pela operação Mãos Limpas.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
RAP

Há um erro na matéria onde se lê “o chefe da operação, Deltan Dallagnol” leia-se o chefe da quadrilha Deltan Dallagnol…

Flávio Queiroz

CNMP vai deixar prescrever os crimes do “fazedor” de palestras para empresas que ele investiga.

Geraldo Eugenio de Barros

Deltan Dallagnol Bandido.

Guimaraes

Tofolli, advogado do cachaceiro corrupto de nove dedos

João Batista de Souza

Que comentário preconceituoso e babaca. Você é um completo idiota.

Guimaraes

Cidadão, toma cuidado. Se jogarem uma bomba no luladrão, sua arcada dentária vai ser encontrada na genitália do encantador de mulas. Fica o aviso

GALAPAGO

existem vários tipos de bandido, e bandido em vários setores da vida pública, inclusive no MP.

Antonio Afonso Andrade Filho

Ninguém consegue agradar a todos. Cristo, o Filho de Deus, que o diga…!
O Brasil acima de tudo e Deus acima de todos…!
Os brasileiros de BEM, contra a DESORDEM, a CORRUPÇÃO e o COMUNISMO,
confiam nas FORÇAS ARMADAS…!
Que as FORÇAS ARMADAS, que em 1964 livraram o Brasil do COMUNISMO…,
continuem de PRONTIDÃO, demonstrando PATRIOTISMO, para que a BANDEIRA
do Brasil jamais seja VERMELHA…!
Fora DESORDEM…! Fora CORRUPÇÃO…! Fora COMUNISMO…!

João Batista de Souza

Falas de um aloprado e completo idiota.