Governadores defendem diálogo em vez de confronto sobre queimadas

  • por | publicado: 24/08/2019 - 23:36 | atualizado: 25/08/2019 - 00:23

Governadores participam de encontro em Vitória (RS), reprodução Twitter de Renato Casagrande

Receosos de retaliação internacional, os governadores do Sudeste e do Sul defenderam mais diálogo do governo Bolsonaro em vez de confrontos na questão amazônica. Eles se reuniram em Vitória (ES) neste sábado (24), para discutir assuntos de interesse das duas regiões. Esse foi o 4º Encontro do Consórcio de Integração Sul e Sudeste.

Em carta divulgada após o encontro, pediram diálogo e distensão da crise, além de manifestar apoio aos governadores da região afetada (Norte).

“Os governadores do Sul e Sudeste entendem que os temas ambientais devam ser objeto de diálogo e distensão, buscando entendimento para fortalecer a imagem internacional do Brasil, reforçando o nosso compromisso com a biodiversidade e preservando as exportações do país, sobretudo do agronegócio”, diz trecho da carta.

E ainda que: “Os governadores manifestam solidariedade aos colegas da Região Norte e confirmam que auxiliarão, se necessário, com estrutura, tecnologia e recursos humanos para contribuir no controle de queimadas na Região Amazônica”.

CNBB também cobra solução

A exemplo dos governadores, a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota oficial e um vídeo, na sexta (23), cobrando medidas sérias para salvar a Amazônia.

“É urgente que os governos dos países amazônicos, especialmente o Brasil, adotem medidas sérias para salvar uma região determinante no equilíbrio ecológico do planeta”, diz o documento, advertindo, ainda, que “Não é hora de delírios, descalabros em juízos e comentários”.

No documento, a CNBB ressalta que Sínodo dos Bispos sobre a Amazônia, convocado pelo papa Francisco para outubro próximo, – no cumprimento de sua tarefa missionária e da evangelização, – é sinal de esperança e fonte de indicações importantes no dever de preservar a vida, a partir do respeito ao meio ambiente.

Protesto na França durante G7

E na França, milhares de manifestantes foram às ruas neste sábado, durante a cúpula do G7 (sete países mais ricos do mundo), na cidade de Biarritz. Eles reivindicaram soluções para várias questões, entre elas as queimadas que devastam a Amazônia.

Descaso queima a imagem do Brasil

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.