Reforma tributária quer acabar com deduções no IR e criar nova CPMF

  • por | publicado: 9/08/2019 - 09:00
Ministro Paulo Guedes confirma intenção do governo em criar tributo sobre movimentações financeiras, uma espécie de nova CPMF. Foto - Agência Brasil

Ministro Paulo Guedes confirma intenção do governo em criar tributo sobre movimentações financeiras, uma espécie de nova CPMF. Foto - Agência Brasil

Com a reforma da previdência aprovada na Câmara e bem encaminhada no Senado, o foco do governo federal passa a ser, agora, a reforma tributária. O ministro da Economia, Paulo Guedes, confirma que a intenção do governo é acabar com as deduções na declaração do Imposto de Renda (IR) de despesas com saúde e educação e criar uma espécie de nova CPMF, um tributo sobre movimentações financeiras.

O governo estuda reduzir a alíquota máxima da tabela do IR, que hoje é de 27,5% e a criação de um imposto único sobre consumos e serviços. Mas o item que promete ser o mais polêmico da proposta é a criação de um tributo sobre movimentações financeiras que, na prática, representaria a volta da CPMF, conhecido como o imposto do cheque.

O próprio governo admite que a proposta vai gerar antipatia entre os contribuintes e pode enfrentar forte resistência no Congresso. É também esperada uma reação da classe média ao fim das deduções no IR de despesas com saúde e educação, pois a conta pode ficar ainda mais pesada para essa parcela da população.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.