Servidor fica sem receber, mas tem que pagar contas de água e luz cobradas pelo governo

Inácia Soares e Orion Teixeira na TV Band Minas, reprodução YouTube

Se o governador Romeu Zema (Novo) alega dificuldades para programar o pagamento da maioria dos servidores, imagina as de quem não recebe o salário. Igualmente, não terá como programar a quitação de despesas como água e luz, que são das empresas do governo, além de comida, aluguel e remédio. Ou seja, ficar sem salário não dá para se defender, nesse tempo de pandemia, nem se proteger para combater o avanço da doença.

Nesta quinta (9), recebem apenas os servidores da área da saúde e os policiais, considerados pelo governo como essenciais ao combate à pandemia. Por outro lado, o governo tem recebido ajuda externa e extra de outros setores. A Assembleia Legislativa liberou R$ 300 milhões. O Judiciário desbloqueou outros R$ 500 milhões da conta da mineradora Vale e outros R$ 15 milhões de custas judiciais. Tudo somado, são quase R$ 1 bilhão para ajudar o governo a combater o coronavírus.

Veja aqui meu comentário para a TV Band Minas

Pandemia agrava violência doméstica

O agravamento da violência doméstica é um dos efeitos sociais mais nocivos da quarentena da pandemia em todo o mundo. Aqui não é diferente, há risco para as mulheres, crianças e idosos. O secretário-geral da ONU, Antônio Guterres, fez apelo para que países protejam as mulheres e os vulneráveis nesse momento. “A violência não se limita ao campo de batalha”, disse Guterres num vídeo em inglês, com legendas em francês, árabe, espanhol, chinês ou russo. Ele lembrou o apelo recente para um cessar-fogo em todos os teatros de guerra para melhor combater a doença, segundo a Agência Brasil.

Em Belo Horizonte, houve queda de denúncias porque as mulheres não têm como fazê-lo na atual situação de isolamento social e regime de trabalho remoto dos órgãos de defesa.

É fundamental, nesse momento, que se crie meios de denúncias de maneira remota, por aplicativos, e mais ágeis. De modo que a Polícia Militar e o Judiciário possam dar a cobertura e medidas protetivas necessárias.

Risco de feminicídio

Caso contrário, as agressões podem evoluir para o feminicídio, que é o assassinato de mulheres apenas pelo fato de serem mulheres. O ambiente doméstico que é o mais seguro contra o coronavírus está virando inseguro para aquelas mulheres, crianças e idosos que têm que conviver 24 horas com os agressores.

Com ameaça de protesto de policiais na porta de casa, Zema libera pagamento

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.