Zema plagia projeto da Assembleia e é chamado de “cara de pau” por deputado

Ulysses Gomes (PT) e Gustavo Valadares (PSDB): ataque e defesa na Assembleia, fotos Luiz Santana/ALMG

Em nova trombada com a Assembleia Legislativa, o governador Romeu Zema (Novo) sofreu, na manhã desta sexta (30), as críticas mais duras desde o início do governo. A reação foi manifestada um dia depois que o governador anunciou, nas redes sociais, que iria pagar R$ 500,00 a famílias de baixa renda na pandemia. “Apoiar as famílias que mais precisam é urgente. Por isso, vamos pagar um auxílio de R$ 500, em parcela única, para aqueles que estão em situação de extrema pobreza (renda per capita de R$ 89)”, disse o governador.

A proposta de auxílio emergencial na pandemia, no entanto, foi apresentada pela Assembleia Legislativa e aprovada em 1º turno na quinta (29) e em 2º turno no dia seguinte. “Ele se apropriou de um projeto da Assembleia. É um cara de pau, mentiroso, Zenóquio, Zemoleza”, xingou o deputado Ulysses Gomes (PT), líder da Minoria na Assembleia.

Até o presidente da Assembleia, Agostinho Patrus (PV), autor da iniciativa, usou a mesma rede social para criticar o gesto do governador. “Governador Zema, se apropriar indevidamente de uma iniciativa sem consentimento do proprietário é crime previsto no Código Penal. Na vida, dar crédito pelas ideias é importante. Na vida pública, dar crédito é imprescindível, porque desafios só são superados quando somamos forças”.

Em resposta, auxílio vai a R$ 600

Em outra reação, Agostinho Patrus ampliou de R$ 500,00 para R$ 600,00 e a alteração foi aprovada. Zema chegou a afirmar que seu governo estudava o assunto desde o final do ano, mas, até agora, 13 meses depois do início da pandemia, não havia tomado a iniciativa.

Ulysses Gomes advertiu que, no artigo 184 do Código Penal, o crime de plágio é previsto em lei e conta com penalidades para aqueles que copiam conteúdo sem mencionar o autor original. “É isso que o governador Zema cometeu ontem (quinta-feira), plágio, crime, mentira. E eu vou entrar, presidente, com uma ação judicial, quero convidar os deputados aqui que queiram, que eu quero saber da verdade”, afirmou.

Deputado adverte para estelionato intelectual

João Vítor Xavier (Cidadania) disse abominar “estelionatos intelectuais” e também criticou Zema. “Governador, tenho absoluta convicção que essa ideia infeliz não partiu de vossa excelência. Governador, tenho absoluta convicção que não partiu do senhor mais esse ato de agressão à Assembleia, e é inaceitável que essa questão não seja colocada apenas como uma eventual disputa menor ou disputa de vaidade. Não cabe ao governador do Estado, na inteireza do seu cargo, na grandeza do que representa, assumir autoria daquilo que não lhe pertence”, disse.

Ouros parlamentares também criticaram o governador. Já o deputado estadual Gustavo Valadares (PSDB), líder do governo na Assembleia, minimizou o que chamou de “busca pela paternidade” da ideia. “É preciso dar o crédito a quem trouxe a ideia, mas é preciso reconhecer também que o auxílio será construído através sim de uma parceria. São agora, através da nova emenda apresentada, não mais meio bilhão de reais de impacto, mas 600 milhões de reais”, disse ele, acrescentando que a história irá dar o reconhecimento à Assembleia pela iniciativa.

LEIA MAIS: Entidades acusam Zema de trair ideais do 21 de abril com adesão ao RRF

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Denildo Gomes

Se estão preocupados com autoria de projetos, porque os deputados não criam projetos de redução de despesas da Assembleia de Minas. Essa Assembleia em 2019 foi a mais cara do país. Querem palmas, trabalhem a favor do contribuinte. Ai sim talvez recebam algum tipo de elogio por estarem cumprindo com suas obrigações que é representar o povo mineiro.

Geraldo Gomes

Pense num governador sem expressão. Como empresário esperávamos um líder mas na prática foi tampado pelo Kalil.