Abandonada pelo BNDES e BDMG, Unitec ataca CEMIG

  • por | publicado: 19/12/2019 - 18:23 | atualizado: 20/12/2019 - 16:58

Unitec Semicondutores foi abandonada pelos bancos-acionistas BNDES e BDMG. O projeto de R$ 1 bi faliu. A Unitec move ação na Justiça contra a Cemig - Foto: Reprodução/Facebook Unitec

Abandonada pelos acionistas e investidores BNDES (União) e BDMG (Governo de Minas) a Unitec Semicondutores, de Ribeirão das Neves, dá troco. Mesmo tendo recebido R$ 1 bilhão, quebrou antes de iniciar a produção comercial de chips. E acabou processada pelo BNDES, por atraso nos financiamentos. Mas, a Unitec resolveu, por sua vez, acionar a Cemig Distribuição S.A. (Grupo Cemig) na Justiça. A empresa tecnologia cobra da estatal por infraestrutura de rede de energia, que teria construído para ser ressarcida depois.

A ação da Unitec corre na 1ª Vara da Fazenda Pública e Autarquias da Comarca de Belo Horizonte – Processo 5057264-14.2019.8.13.0024. As súmulas do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), não revelam, porém, o valor. Mas, na “distribuição por sorteio”, em 24/04/2019, o “valor da causa” foi fixado em R$ 930.179,24.

Ao mesmo tempo em que processa a CEMIG, a Unitec coleciona dezenas de ações contra ela, de credores e ex-funcionários, na Vara de Fazenda e na Justiça do Trabalho.

Origem da dívida que Unitec cobra

Também, não é publicada, pelo TJMG, a origem da cobrança. Contudo, em seu último balanço patrimonial publicado (em 23/11/2018), do exercício fiscal de 2017, a Unitec registra realização de obras que caberiam à estatal do Governo de Minas. Porém, fora acordado uma indenização financeira posterior. Então, o pretenso crédito foi classificado como “recebível”.

Na parte da “Mensagem aos acionistas”, os diretores registraram: “(iii) recebimento da CEMIG do reembolso pela construção da infraestrutura em torno da fábrica, conforme previsto no Acordo de Intenções celebrado com o Governo do Estado, em 11 parcelas mensais de R$ 3.282 mil cada, iniciando-se a primeira em março de 2017.” Ou seja, R$ 36,102 milhões.

O balanço detalha, ainda: “Refere-se aos valores investidos em obras de infraestrutura de energia elétrica (subestação e linha de transmissão) e que, com base no Protocolo de Intenções, firmado entre a Companhia e o Governo do Estado de Minas Gerais, estão sendo recebidos através da Companhia Energética de Minas Gerais – CEMIG”.

Fato/Reprodução do Balanço Patrimonial (Valores: em mil de R$)
* Berbill S.A – citada sempre como Corporación América, da Argentina. Pertence à holding ACI, de Luxemburgo **Tecnologia Infinita WS IN-Tecs Ltda – citada como WS In-Tecs Ltda. WS é sigla do nome do alemão Wolfgang Sauer, ex-presidente da VW Brasil.

ENTENDA O CASO:

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments

Subscribe
Notify of
guest
3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
José Alves da Silva Neto

Para que investir e tecnologia, né ????

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Paunoseutoba Tinrabo

Tenho dó, mais uma empresa do Grupo X, que depois de uma queda vão ficar tentando se salvar até que alguém jogue uma pá de cal….

Marco Antonio Castello Branco

Vale o esforço jornalístico investigar a história desse investimento desde sua origem e como o tão badalado setor privado conseguiu queimar mais de R$ 1 bilhão de recursos que arrebatou de investidores estatais.