Unitec não sobreviveria às vantagens dadas na Suframa

  • por | publicado: 23/10/2019 - 08:08

Corporación América, parceira (33%) do BNDES e BDMG no projeto da Unitec, relata em seu portal que a fábrica de Ribeirão das Neves (MG) é um sucesso: "produz 130.000 bolachas por ano e ajuda a impulsionar os setores de tecnologia e desenvolvimento" - Foto: Corporación América/Divulgação

Unitec Semicondutores S.A não conseguiria enfrentar as vantagens fiscais dados pela Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). O projeto, em Ribeirão das Neves, de mais de R$ 1 bilhão está inacabado e precisando de aporte de mais US$ 80 milhões. Há dois anos e meio (até junho), a indústria praticamente só fez manutenção de parte dos equipamentos instalados.

Os financiadores e acionistas BNDES e BDMG colocaram o projeto da Unitec em regime de silêncio branco. A postura coincide a data da reunião com a Finep (agência do Governo Federal), dia 31, em Belo Horizonte, na sede do banco do Governo de Minas.

O problema do projeto está na postura dos próprios acionistas: sem garantias, não fazem mais aportes. Ou seja, eles próprios nada garantem. A Finep, última fonte, então, nesse cenário não retoma os repasses do Tesouro.

Portanto, a postura coletiva dos acionistas dificulta a atração de um provável novo investidor, principalmente do exterior. Além disso, há depreciação de capital e imagem. “Talvez (alguém se interesse) por simbólicos US$ 20 milhões“, comentou uma fonte conhecedora do projeto e ocupada com tecnologia embarcada na área automotiva.

GBR pode importar mais US$ 10 mi

A propósito das vantagens fiscais que as concorrentes da Unitec têm na Suframa, na sexta-feira (18/10), GBR Componentes da Amazônia Ltda teve mais benefícios. A Portaria Nº 842/Suframa autorizou a GBR adicionar mais US$ 10 milhões à sua cota de importação de insumos.

O benefício é para ser implementado ao longo do terceiro ano de produção. Esta autorização é para “placa de circuito impresso montada”. Fica excluída placa de uso em informática. A GBR já pode começar a realizar as importações.

Unitec já com o site inativo

Mesmo assim, a Corporación América, da Argentina, que comprou 33% Eike Batista (Grupo EBX), em 2014, para liderar o projeto, relata inverdades em seu portal. “A UNITEC Semicondutores trabalha intensamente no fornecimento de soluções para o desenvolvimento, produção e encapsulamento de circuitos integrados. Atende ao mercado global, com foco na América Latina”. E vai bem além: “A planta industrial da UNITEC Semicondutores em Ribeirão das Neves (MG), no Brasil, produz 130.000 bolachas por ano e ajuda a impulsionar os setores de tecnologia e desenvolvimento“.

Os acionistas da Unitec não deram publicidade ao resultado da última Assembleia Geral Extraordinárias (AGE), prevista para 28 de agosto. Esta data foi marcada após o cancelamento da que estava programada para 12 do mesmo mês. Incomum, porém, é que nem mesmo os bancos oficiais nem a Finep (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicação) noticiaram em seus portais. O site da Unitec está inativo, pelo menos, desde 1º deste mês.

Aquelas AGE tiveram mesma na ordem do dia, de um item e várias alternativas, incluindo a votação de extinção da companhia. Este item estava após a apreciação das propostas de novo aporte pelos acionistas, venda dos equipamentos e pedido de recuperação judicial.

Leia matérias publicadas pelo ALÉM DO FATO

#UnitecSemicondutores #BNDES #BDMG #Eike Batista #EBX #CorporaciónAmérica #Finep #Suframa #GBR #RibeirãoDasNeves

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.