Governador Zema se alia aos empresários que querem derrubar Alexandre Kalil

Governador Romeu Zema se alia a grupo de empresários que quer forçar segundo turno em BH contra Alexandre Kalil. Foto - Pedro Gontijo-Agência Minas

Governador Romeu Zema se alia a grupo de empresários que quer forçar segundo turno em BH contra Alexandre Kalil. Foto - Pedro Gontijo-Agência Minas

O governador Romeu Zema (Novo) decidiu participar de forma mais efetiva de um grupo organizado por grandes empresários, sob a coordenação da Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg), que vai apoiar candidatos de oposição ao prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil. O primeiro objetivo desses empresários é levar a disputa para o segundo turno, impedindo que o atual prefeito seja reeleito no primeiro tempo da disputa.

Por recomendação do governador, o publicitário Alexandre Grôppo, responsável por sua campanha ao governo de Minas em 2018, está prestando serviço ao grupo. Uma das tarefas do profissional é avaliar o potencial de alguns candidatos oposicionistas e sugerir estratégias de campanha.

A interlocução do governador com o grupo de empresários, alguns deles peso-pesados dos setores da construção civil e construção pesada, está sendo feita pelo secretário-geral Mateus Simões. Coordenador da campanha de Zema, Simões deixou um mandato de vereador em Belo Horizonte para ser secretario estadual de olho num projeto político mais ambicioso para 2022.

Para o sucesso desse projeto futuro, o tempo presente, em especial a eleição para a prefeitura de Belo Horizonte, é fundamental. Alexandre Kalil sonha ser governador do Estado em 2022. Sua reeleição na capital mineira faz parte da estratégia para viabilizar esse sonho. Se vencer no primeiro turno, então, sairá com grande vantagem na corrida para ser chefe do Executivo mineiro.

Se conseguir levar a disputa para o segundo turno, empresários e políticos adversários de Kalil, como Zema e Simões, avaliam que podem provocar avarias no projeto do prefeito para 2022.

E como segundo turno é sempre uma outra eleição, nessa hipótese o grupo de empresários e os políticos adversários vão jogar pesado (o que significa colocar muito dinheiro) para fazer desse candidato oposicionista o futuro prefeito da capital mineira (hipótese, pelo menos hoje, muito pouco provável).

Cobras e lagartos

O fortalecimento de Kalil não interessa a esses empresários, que andam dizendo dele, em privado, cobras e lagartos. E interessa menos ainda ao governador e seu grupo político, que vê o atual prefeito como principal adversário para 22, em especial se conseguir uma vitória esmagadora em BH, o que significa ser eleito em primeiro turno.

Não é o que quer Zema, caso seja candidato à reeleição, nem Mateus Simões, que pode ser candidato a governador pelo Novo se o atual decidir optar pela candidatura ao Senado (há quem diga que pensa em ser candidato a presidente da República).

E não é também o que querem esses grandes empresários, que têm pesadelos só de pensar que o futuro governador de Minas possa ser Alexandre Kalil. Certamente porque seus interesses na prefeitura de Belo Horizonte estão, de alguma forma, sendo contrariados.

Relacionadas

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments