Brasil só entraria na OCDE se criada a porta da corrupção

  • por | publicado: 17/12/2020 - 15:43 | atualizado: 18/12/2020 - 22:38

Ministro da Economia, Paulo Guedes (D), ontem (16/12) ao lado do presidente Jair Bolsonaro durante a cúpula virtual dos presidentes dos países do Mercosul - Foto: Reprodução/Redes Sociais

Na falta de assunto positivo, o ministro da Economia, Paulo Guedes, requentou café ralo de ingresso na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Esse é o chamado “clube dos países ricos”. Mas, o próprio ministro sabe que o país descumpre princípios básicos econômicos, no combate à corrupção, científicos, ambientais e sociais para ser avaliado.

O Governo Bolsonaro tem atitudes sofríveis para o espelho da OCDE. Todavia, Guedes diz amém, por apego ao cargo. Por isso, então, na quarta (16/12), preferiu distrair jornalistas com abobrinhas. Portando, encheu barrigas vazias com lereias de sempre na agricultura e Amazônia.

Os editores dos jornais, rádios, TVs e sites de notícias, pelo visto, ficaram satisfeitos. Pois, publicaram relatórios e vastos declaratórios. Nada questionaram. Portanto, repassaram tudo como sagradas verdades.

Guedes, então, vomitou que o Governo Bolsonaro “cumpre” 94 das 245 condicionantes exigidas pelo “clube”. Jornalistas não confrontaram o ministro com um checklist de verdades. O ministro, muito à vontade, jogou alpiste aos trouxas. Assim sendo, fez festa com divagações para o agronegócio, Bolsa Família e adereços, além das consagradas mentiras sobre a Amazônica. Ou seja, pautou o que quis, apoiado no tal “Relatório Econômico Brasil 2020”, da OCDE.

Seguindo o chefe, Paulo Guedes evitou, portanto, as flores murchas dos jardins do Alvorada, Planalto, Praça dos Três Poderes e Executivos e Legislativo nos Estados (principalmente capitais). Ou seja, não falou da corrupção. Mas, também, nem foi importunado.

OCDE teria de rasgar estatutos

Mas, o ministro da Economia sabe, muito bem, que, mantida a tolerância à corrupção, o Brasil nunca entrará solene, pela porta da frente, na OCDE. Só com o impossível: por exemplo, se aberta uma porteira de fundos, para ‘passar a aboiada’ (países) da corrupção.

Ou seja, a Organização teria de abandona seus princípios.

Reforço que o Brasil está pronto para ingressar na OCDE” (sic), Paulo Guedes. Fala sério, ministro!

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.

All Comments